Número de acidentes de trânsito nas Rodovias Federais é alto nos últimos três anos

A estatística é uma ciência que tem por objetivo a coleção, análise e interpretação de dados numéricos a respeito de fenômenos coletivos ou de massa. Para a população, por vezes ela serve para evidenciar o que intuitivamente já dava para ser notado. Um exemplo disso são os acidentes de trânsito, todo mundo percebe que cada vez mais carros batem, pessoas se ferem e os motoristas dirigem de maneira irresponsável. A prova de que nossa impressão está correta, esta nas estatísticas do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes).  De acordo com dados do Departamento, nos últimos três anos o número de acidentes de trânsito nas rodovias federais aumentou.

O banco de dados do DNIT é formado com base nos registros efetuados pelo DPRF (Departamento de Polícia Rodoviária Federal). Anualmente, a polícia federal coleta os dados de ocorrências de acidentes no trânsito e faz um relatório. Este documento é extremamente detalhado, separado por estado e com inúmeras categorias que permitem uma analise detalhada da situação perigosa do trânsito nacional.

Os números de acidentes de trânsito nos últimos três anos totalizam 39.149

Somados, os dados de 2009, 2010 e 2011 do estado de São Paulo totalizam 39.149 acidentes, contando ocorrências com mortos, feridos e sem vítimas. Deste total, 1.053 são acidentes com mortos. Uma questão que chama atenção nos números é o aumento gradativo ano a ano. Em 2009, o número registrado foi de 12.476 acidentes de trânsito. Em 2010 este número passou para 13.009 e em 2011 subiu para um total de 13.662.

Quando ao índice específico das ocorrências de acidentes de trânsito com mortos, o aumento não é gradativo. No ano de 2010, o número de mortes foi maior. No geral, os três anos possuem números semelhantes. São eles, 346 mortos em 2009, 359 mortos em 2010 e 348 mortos em 2011.

Os dados anuais dos registros efetuados pelo Departamento de Polícia Rodoviária Federal – DPRF saem em geral no ano seguinte. Por tanto os dados de 2012 tendem a ser vistos em fevereiro de 2013.

Compartilhe