Novos progressos, velhos conhecidos, mesmas operações

O que temos visto em Ribeirão Pires nos últimos meses é um crescente número de investimentos em áreas diferentes, mas todas convergindo para o mesmo propósito: lucro através do futuro da cidade.

Basta uma simples volta por aí e podemos constatar investimentos que outrora não se viam. Grandes galpões, construídos às margens da lei ambiental, localizados em pontos estratégicos, prontos e postos a locação; promessas de inaugurações de famosas franquias, como o Habib’s, McDonalds, Subway, Padaria Brasileira e agora, mais recentemente, o Fran’s Café (que funcionará na Avenida Fortuna e, segundo fonte ligada ao locatário do imóvel, pertenceria ao próprio prefeito Clóvis Volpi), todas em fase de construção. Ainda assim, existe algo a mais em comum. Cada uma dessas franquias ou investimentos está ligada a alguma personalidade política local, família influente ou grupo de empresários que até 2002 não possuíam uma ínfima parte das posses que detém na atualidade.

Por que, de uma hora para outra, Ribeirão Pires atraiu tantos investimentos? A proximidade com o Rodoanel, o término do período de oito anos de um governo e uma série de outros fatores poderiam explicar tal demanda. Como se estivéssemos vivendo uma verdadeira teoria da conspiração, onde poderosos usam a cidade inteira, cada um de seus habitantes, como peças de um elaborado jogo pleno de vaidades, onde no final nenhum cidadão consegue, por mais que se esforce, provar as movimentações obscuras por trás do que se passa pelos corredores da cidade.

Outra pergunta: como resistir a tudo isso sem que se pareça antiprogressista, oposicionista cego ou mero lunático?

Tememos não ter uma resposta definida para isso. A única coisa que podemos fazer é estar alertas para o que acontece com a nossa cidade. Não adianta esconder os fatos, pois como bem afirma o dito popular, “a mentira tem pernas curtas”. Cedo ou tarde, toda a verdade vem à tona e, se agora somos impotentes para lutar contra o “falso progresso”, espera-se que quando as falhas começarem a aparecer, tenhamos a força necessária para fazer a escolha mais correta: punir os responsáveis e celebrar a volta da decência e da verdadeira cidadania.

Pode parecer um desabafo, ou meras palavras jogadas ao vento. Mas o que o leitor precisa entender é que se está acontecendo um jogo por trás das cortinas do poder, certamente há alguém assistindo e não vai demorar muito para que páginas de jornal recebam a tinta necessária para gravar a verdadeira história dos bastidores do progresso. Afinal de contas, sempre que alguém se movimenta, há outro apenas observando.

Compartilhe