logo
Sábado, 25 de Outubro de 2014

Antirradar no GPS: dispositivo proibido

Difícil imaginar a vida sem o GPS. Com o equipamento, demora para encontrar um endereço, se perder no meio do caminho e ter que parar o veículo para pedir informações a alguém viraram cenas do passado.

GPS é a sigla de Global Positioning System; traduzindo, Sistema de Posicionamento Global. Ele é composto por três segmentos: espacial, de controle e utilizador. O primeiro reúne 28 satélites que circulam a Terra duas vezes ao dia, transmitindo sua posição e horário continuamente. Este sinal é recebido pelo sistema de controle, que monitora os satélites pelo utilizador, que são os aparelhos GPS. Eles analisam os sinais e conseguem definir sua posição, mostradas em mapas que possuem na memória do aparelho.

Segundo o Denatran, mesmo sendo apenas um banco de dados, o GPS com alerta de radares é considerado irregular

De acordo com o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), a função de um GPS é indicar ao motorista qual caminho ele vai seguir para chegar a determinado endereço: se vai seguir em frente, virar à direita, à esquerda. Apenas isso. Se a indicação se estender aos radares que o condutor encontrará ao longo do trajeto, aí ele é proibido, e de aliado passa a inimigo. Segundo o Denatran, mesmo sendo apenas um banco de dados, o GPS com alerta de radares é considerado irregular.

Se o motorista for parado pela polícia e a autoridade constatar que o GPS possui dispositivo que alerta sobre a presença de radares, isso será considerada infração gravíssima, o que resultará em multa no valor de R$ 191, sete pontos na carteira e apreensão do veículo.

O aparelho com antirradar é vendido em algumas lojas, mas o Denatran informa que não tem competência para proibir ou liberar a venda do GPS com o alerta de radares.

 Escolhendo o GPS certo

São diversas marcas e modelos de GPS oferecidos pelo mercado, sem contar que a cada dia a tecnologia avança e equipamentos com novas funções são lançados.

Veja algumas dicas para comprar um bom aparelho.

Velocidade do processador - Este é um item muito relevante, já que de nada adianta ter um GPS que o deixará esperando vários segundos por alguma tarefa executada. Escolha um modelo que tenha um processador rápido.

Quantidades de pontos de interesse (POIs) – Quanto maior a quantidade de POIs, mais facilmente o motorista conseguirá identificar farmácias, supermercados, hotéis, pousadas, oficinas, pontos turísticos, entre outros.

Atualização do mapa – Com novas vias recém-inauguradas, como é o caso do Rodoanel, o GPS precisa ter em sua memória um mapa atualizado. Muitos modelos possuem atualização paga, já outros a atualização do mapa é gratuita no primeiro ano, e há modelos em que a atualização é gratuita.

Tamanho da tela – Para uma boa visualização, o tamanho da tela do GPS é fundamental. Se for comprar o equipamento pela Internet, visite antes pelo menos uma loja física para conferir qual o tamanho da tela ideal para seu uso.

Tomada no carro – Atualmente, a maioria dos carros possuem tomada 12v, mas caso você possua um carro um pouco mais antigo, certifique-se  de ter uma instalação, pois em viagens longas, a bateria do GPS acabará, e então será necessário utilizar a tomada do carro.

Navegador - Existem diversas marcas e modelos, porém, um dos melhores navegadores é o iGO, pois é um dos mais fáceis de configurar e observar informações na tela.

Recursos adicionais – Há no mercado GPS’s que não são apenas equipamentos para ajudar o motorista a chegar a seu destino. Existem aparelhos que possuem TV digital, player de músicas e vídeos, games, computador de bordo, entre outros recursos multimídia, para agradar qualquer consumidor. 

Pesquise – Antes de comprar o GPS, faça uma pesquisa: procure informações sobre as marcas, visite várias lojas, pesquise os preços e se o fabricante oferece suporte e assistência técnica caso o aparelho der algum problema.

PéssimoRuimRegularBomÓtimo (Sem avaliação ainda)
Loading ... Loading ...

Deixe um comentário