logo
Quarta-feira, 28 de Janeiro de 2015

A raposa perde o pelo, mas não perde o vício

Este conhecido ditado popular pode ser traduzido como o indivíduo que vicia em fazer coisas erradas, sofre as consequências de seus atos, mas continua a praticá-los. Dias atrás, mais precisamente na edição 437, um comentário publicado na seção “Além do Mais”, sob o título Jurado I, falava da encrenca que o vereador Saulo se meteu ao pleitear sair candidato ao Paço em 2012, em oposição ao suposto todo-poderoso “Dedé da Folha”. Alguns leitores podem indagar porque sempre que me refiro ao vice-prefeito faço questão de frisar que o mesmo é o “Dedé da Folha”. E sabem por quê? Quem seria o “Dedé da Folha” sem a Folha?

A família que já fez dois vereadores e um vice-prefeito, usa descaradamente seu veículo de informação como principal palanque eleitoral. É ali que eles conseguem a visibilidade necessária para tocar seus projetos políticos e atacar seus supostos ou verdadeiros adversários, vários políticos da cidade já sentiram o peso das repetidas e inverídicas manchetes publicadas visando atingi-los. Não vou aqui falar em nomes, pois a lista seria muito extensa, porém o leitor mais engajado com certeza deve se lembrar, e a bola da vez é o Saulo.

Muito à frente do vice nas pesquisas para prefeito em 2012, Saulo tem sido vítima da máxima que diz: “Conte uma mentira repetidas várias vezes e as pessoas passarão a acreditar que é verdade”. Não sou advogado do Saulo, e nem sou pago para defendê-lo, mas quem inventou esta história de aumento de 1.000% no preço da Zona Azul não foi o Saulo, então é fácil deduzir quem foi, o porquê, e o motivo da repetição da invencionice. Contar uma mentira tantas vezes até que acreditem que seja verdade.

Gazeta

PéssimoRuimRegularBomÓtimo (1 votos, média: 5,00 de 5)
Loading ... Loading ...

Deixe um comentário


  1. Por que é importante descartar corretamente as lâmpadas fluorescentes?Você sabia que a maior parte dos resíduos sólidos tóxicos produzidos no País é construída por lâmpadas, pilhas e baterias, ou seja, por lixo eletrônico? Cerca de 100 milhões de lâmpadas fluorescentes são consumidas por ano, onde mais de 94% são descartadas em aterros sanitários, sem nenhum tipo de tratamento, contaminando assim o solo e a água com metais pesados. As lâmpadas fluorescentes entram com tudo no mercado, já que são quatro vezes mais econômicas e duram mais em relação às incandescentes. O que veio beneficiar o bolso pode se tornar um grande inimigo do meio ambiente e da nossa saúde, quando descartadas de maneira incorreta. Elas são constituídas de vidro, alumínio, pó fosfórico e mercúrio, elemento químico tóxico que pode contaminar água, solo, animais, plantas e pessoas. Em dezembro de 2010, foi sancionada a Lei Nacional dos Resíduos Sólidos que tem como proposta a pratica de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos. A Estância Turística de Ribeirão Pires, preocupada com o meio ambiente e com a saúde dos seus cidadãos, é considerada uma das poucas do Grande ABC que possuí posto de reciclagem de lixo eletrônico. Localizado na Vila do Doce o posto itinerante de Coleta funciona das 9h às 16h, de segunda a sexta. No momento o trailer esta em manutenção com previsão de volta para a segunda quinzena de março. A Estância conta também com alguns mercados da região que arrecadam pilhas e baterias além da disponibilização de caminhões pela Prefeitura para a realização do serviço de coleta seletiva no centro da cidade, coletando papel, plástico, vidro e metal, todo material coletado é encaminhado para a COOPERPIRES (Cooperativa Material Reciclável de Ribeirão Pires) localizado no Parque Aliança. Neste local ocorre à manipulação e a triagem dos materiais com toda a segurança, após serem desmontados os materiais são vendidos às cooperativas parceiras especializadas em eletroeletrônicos. Até o momento não existem no município lugares apropriados que recebam as lâmpadas fluorescentes. Segundo informações da Secretaria do Meio Ambiente de Ribeirão Pires, as lâmpadas queimadas e quebradas devem ser entregues no local de sua compra ou nos seus respectivos fabricantes, que são obrigados por lei a receber-las, algumas empresas especializadas em venda de materiais para construção como as lojas C&C e Leroy Merlin trabalham com um descarte próprio em parceria com uma empresa especializada em reciclagens de lâmpadas fluorescente.
  2. Saulo garante que Minha Casa Minha Vida vai sair do papel
  3. “Orelhão em Chamas”
  4. Secretaria de Meio Ambiente realiza convenio com empresa de água
  5. Elas voltaram! Mocreias reestreia em 8 de março



  1. anderson da silva abrahao:Sou um homem branco,46 anos, loiro(cabelo cortado á máquina)...
  2. tsutomu koga:Os itens saúde, moradia e educação são importantes. No e...
  3. tsutomu koga:Os itens saúde, moradia e educação são importantes. No e...
  4. Vereador-Renato Foresto:Conheço Pancho a muitos anos desde a época que trabalhei na ...
  5. andre:sou andre procuro mhres de 30 a 40 anos para com...


“O escritor não transcreve a vida, inventa a vida”

Milton Hatoum