Perca o medo de português – Nada passa despercebido!

Há alguns dias, durante uma palestra, encontrei um amigo que me deixou surpresa quando ao dizer que não o tinha visto, este me disse “Ah, consegui passar desapercebido por você”. Fiquei pensando: ele estava desprevenido do quê? Logo começamos a conversar e durante a conversa ouvi outra coisa que me deixou mais perplexa. “Você ficou sabendo que ganhei uma quantia vultuosa na loteria?”. Neste momento entrei em pânico. Havia um perigo iminente ali… Ou seria eminente?

Nossa, que confusão! Mas calma, caro leitor. Vamos esclarecer os fatos… e as palavras, é claro!

Meu amigo, sem perceber, foi “infeliz” no emprego de algumas palavras, mas como falantes de uma língua que vive em contínuo processo de mudanças, também podemos cometer erros deste tipo.

Que atire a primeira gramática quem nunca achou que a palavra desapercebido “era a grafia errada” de despercebido! Estamos muito acostumados com algumas palavras que quando vemos alguma outra muito parecida (parônimas, como explicada na coluna anterior), achamos que uma delas está incorreta. Desapercebido é o mesmo que desprevenido, desprovido, enquanto despercebido é quando não se é notado. Exemplos: “Fui à faculdade desapercebida dos meus livros” (desprevenida do material de estudos) ou “O acidente passou despercebido aos motoristas” (sem ser notado) . Ambos são adjetivos, mas possuem significados diferentes. Já deu para perceber que na verdade meu amigo ia passando despercebido por mim, não é?

Sem querer deixar você preocupado, leitor, vejamos a outra palavra que meu amigo empregara: vultuosa. O também adjetivo vultuoso não foi empregado da forma correta. Vultuoso é o mesmo que inchado ou congestionado. Exemplo: “Seus lábios tão vultuosos chamaram nossa atenção”. Vultoso, diferentemente de vultuoso, é mais empregado nas frases do dia a dia e significa importante, volumoso, de grande vulto, como no exemplo “Nossos investimentos foram vultosos para a empresa”.

Por fim, qual seria a diferença entre iminente e eminente? Iminente significa que algo está prestes a acontecer, como no exemplo “Mesmo após o acidente não havia mais perigo iminente do prédio desabar”.  Já eminente quer dizer algo notável, ilustre ou elevado como “A reunião contou com vários cientistas eminentes. Tendo tudo isso em vista, eu estava entrando em pânico com todo aquele papo do meu amigo e com certeza havia um perigo iminente de eu enfartar…

Todas essas palavras são apenas algumas gotas se comparadas à enchente de vocábulos que têm essa semelhança, mas com sentidos distintos. Ainda assim, não podemos esquecer as outras várias palavras que nos confundem diariamente: absolver (inocentar) e absorver (consumir), arrear (colocar arreios) e arriar (baixar, desanimar), comprimento (tamanho) e cumprimento (saudação), emergir (surgir) e imergir (mergulhar), flagrante (evidente) e fragrante (perfumado), fluir (correr em estado fluido) e fruir (desfrutar) etc. O segredo para evitar esses deslizes é sempre o mesmo: consultar um bom dicionário para evitar que erros como estes passem despercebidos!

Sérgio Simka é professor nas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP)

Alessandra Simões dos Santos, formada em Letras pela FIRP, é professora e revisora de textos

Compartilhe