PERCA O MEDO DE PORTUGUÊS – Meio adoentada

Férias… minhas tão sonhadas férias. Como a grande maioria dos brasileiros, creio eu, ao tirar as minhas férias, resolvi visitar alguns familiares que não via fazia algum tempo. Assim, viajei ao interior de São Paulo. Confesso que o meu entusiasmo diminuiu quando ao visitar uma de minhas tias, esta me disse: “ah, você deveria visitar sua avó, ela não tem passado muito bem ultimamente, está meia adoentada“. Claro que me preocupo com a saúde de toda a minha família, inclusive a da minha avó, mas não nego que ao ouvir isso, senti-me com náuseas e confusa. Quem estava adoentada: a minha avó ou a meia?

É isso mesmo, caro leitor, mas não há ambiguidade nesta frase, na verdade, minha tia falou algo de forma errada mesmo. Por isso, devemos tomar cuidado ao nos referir à palavra meio/meia e a sua “concordância”.

Meio pode ser advérbio ou adjetivo. Como saber a diferença? Simples. Como já citado em colunas anteriores, o advérbio é invariável e não muda em nada, pois ele acompanha o verbo. Neste caso, meio é advérbio, e intensifica o adjetivo. Exemplo: “Laura está meio aborrecida com sua mãe”. Neste exemplo fica claro que meio representa a intensidade de aborrecimento de Laura com a sua mãe, ou seja, ele reforça a condição do verbo e não pode ser alterado. Já neste exemplo “Paulo comeu meia maçã”, não se trata de advérbio e sim de adjetivo, pois ele acompanha o substantivo, que é a maçã.

Quando advérbio, meio significa mais ou menos, um pouco, um tanto, enquanto meia, como adjetivo (e numeral, pois quantifica), significa metade, concordando em sujeito e número com o substantivo, exemplo: “Essas são minhas meias-irmãs”. Mas tome muito cuidado com frases desse tipo. Neste caso, quer dizer que ambas são irmãs de sangue por parte de pai ou mãe, mas quando se quer expressar que são como irmãs no sentido de muito amigas, com muitas afinidades, deve-se dizer “meio-irmãs”. Outra possibilidade também é meia ser substantivo: “Ele está com uma meia de cada cor”.

Enfim, depois de tanta discordância daqui e dali, fiquei meio aborrecida e para relaxar acabei comendo meia dúzia de bombons enquanto cuidava da minha avó…

Sérgio Simka é professor nas Faculdades Integradas de Ribeirão Pires (FIRP).

Alessandra Simões dos Santos, formada em Letras pela FIRP, é professora e revisora de textos.

Compartilhe