Além do Mais…

Incompetência ou favorecimento?
A instalação, pela Secretaria de Trânsito do município, de duas áreas para carga e descarga em ambos os lados de uma rua de menos de 50 metros continua a gerar revolta nos comerciantes do entorno, que ficaram sem vagas para seus clientes. A Rua Olímpia Cata Preta, no trecho junto à Praça José Elias Fernandes possui apenas dois estabelecimentos comerciais de pequeno porte, o que não justifica a instalação do aparato.
Campanha profissional
O que não falta na cidade é crítico de político. A moda agora é avaliar como um grupo ou outro anda fazendo sua pré-campanha. De um lado (leia-se governo), esconde-se os problemas internos, as cisões e as brigas e levanta-se uma bandeira de que tudo vai bem. Do outro lado as coisas visivelmente não parecem nada bem, mas o grupo se mantém unido esperando a hora certa para agir. Nesse ínterim, os menos informados falam o que lhes vem na cabeça como se fossem doutores em eleições municipais.
Sem direitos iguais
Nosso agente da SIA (Serviço de Informação Anônima) acompanhou os últimos encontros políticos da cidade. Ao visitar a reunião do PV, ficou surpreso em ser encarado como intruso enquanto outro veículo de imprensa, o “Azulzinho”, podia fotografar e “aspar” (inventar aspas) os participantes da sessão motivacional do prefeito livremente. Pelo menos a situação lhe arrancou gargalhadas ao ver vários olhos saltados incomodados com sua presença no local.
Pode isso Arnaldo?
Por falar em “aspar” (inventar aspas), tem gente na cidade que além de forjar informação revelou não ter escrúpulos ao colocar, na boca de inocentes, palavras tão falsas quanto nota de mil. Mas, para você leitor que talvez não tenha notado essa peripécia da imprensa, basta sondar entre os veículos de comunicação da cidade quem é acostumado a usar a palavra Estância ao se remeter a Ribeirão Pires. Esse foi vítima do próprio vocabulário.

Compartilhe