Além do Mais – 23/06/16

Um olho no peixe, outro no gato

Em reunião realizada na última terça, o PPS de Ribeirão Pires decidiu alçar voo solo e lançar o nome do vereador Banha como pré-candidato a prefeito. Mas também decidiu que irá lançar o nome do presidente do partido, o “ficha suja” Dedé da Folha como pré-candidato a prefeito. Confuso, não?

Pré-candidato a pré-candidato

Mas, nossa senhora do asterisco explica: se Dedé, que está na lista de “fichas sujas” e inelegível até 2021 conseguir uma improvável liberação da condenação por improbidade administrativa (vulgo corrupção) o candidato é ele. Não tão simples, mas é assim. Resumindo a história, o PPS de Ribeirão Pires resolveu “inovar”: tanto Banha quanto Dedé da Folha são “pré-candidatos a pré-candidatos” até que a sentença os separe.

Rivotril a postos

Que as eleições em Ribeirão Pires serão judicializadas ao extremo, não é novidade para ninguém. Prova disso é a quantidade de “evidências” de supostos crimes eleitorais que estão sendo coletadas por aí. A grande novidade é que o processo, ao que parece, já está começando. Ao menos quatro vereadores no exercício dos seus mandatos têm esgotado os estoques de Rivotril por conta de supostas irregularidades cometidas em seus mandatos. Dizem que até mesmo documentos registrados em cartórios podem virar provas. Como resultado, podemos ter uma renovação da casa antes mesmo das eleições. Será?

Ele voltará?

Enquanto alguns pré-candidatos trabalham na surdina, outros estão gastando sola de sapato para garantir seu lugar ao sol. Um deles é João Lessa (PSDB). Mostrando mais disposição do que muitos garotos com metade de sua idade, ele tem comparecido a diversas reuniões e eventos, sempre disposto a debater a cidade. No que depender de sua disposição, a Câmara terá de volta seu galã na próxima legislatura.

Jogo aberto

Um grupo de empresários que estaria interessado em investir na cidade sob determinadas condições andou fazendo por conta própria um levantamento eleitoral para saber a quantas anda o humor do eleitorado e os resultados foram muito parecidos com que está na boca do povo. A questão é que bem mais da metade do eleitorado ainda não escolheu seu candidato. Ou seja: o jogo está mais do que aberto.

Compartilhe