Além do Mais…

Flertando

Os bastidores políticos estão fervendo e, por detrás das recém-abaixadas cortinas, as negociações seguem a todo vapor, especialmente com os novos nomes que ganharam destaque. Um deles é o de Natto, que foi candidato a vereador pelo PP nas últimas eleições e, mesmo sem recursos, conseguiu 244 votos. Vendo que o jovem político tem futuro, já há três partidos o sondando para integrar suas bases, dois deles, inclusive, com enorme peso político. Para onde vai o rapaz?

 

Presente ou ausente?

Infelizmente, a Câmara Municipal virou motivo de piada sendo comparada a uma “igrejinha”, onde os vereadores são acostumados a falar “amém” a qualquer projeto do Executivo. O problema é que alguns vereadores dão motivos para serem satirizados, como nesta semana quando ao ser chamado para a votação, um edil distraído respondeu: “Presente!” ao invés do tradicional e costumeiro “aprovado”.

 

Saulo milagreiro I

O novo prefeito de Ribeirão Pires está passando por uma fase deveras complicada. Muitas pessoas ligadas à atual Administração acreditam que, tal qual a alforria, Saulo vai libertar funcionários públicos do fardo de falar bem da Prefeitura só para garantir o emprego. A situação, que antes era vista como um exagero por parte de servidores, tem se mostrado uma realidade do período pós-queda da dinastia Volpi.

 

Saulo milagreiro II

E não é só problemas dos servidores públicos que Saulo terá de resolver. Na Câmara, o espírito de camaradagem também tem cutucado o edil-alcaide. Nosso agente da SIA (Serviço de Informações Anônimas) presenciou a súplicas de um nobre presidente que espera que o próximo prefeito restitua à Casa o valor recebido pelo sinistro de um carro da Câmara furtado. “Vamos ver se o Saulo devolve esse dinheiro quando ele for prefeito”, disse Gerson, sem esperança que Volpi faça a benesse.

 

Vai dizer que não sabia!

Agora que a poeira da corrida eleitoral abaixou, alguns candidatos estão aprendendo a realidade de se perder o poder. Dedé da Folha, por exemplo, que teve a Máquina Pública “empurrando” apoio à sua campanha, hoje vive em uma ilha deserta no meio da cidade grande. Conforme ele mesmo afirma em sua página pessoal do Facebook: “Antes do pleito e durante as eleições, o meu telefone não parava de tocar; agora somente as pessoas mais próximas entram em contato comigo”. É Dedé! O ser humano realmente é muito complicado”.

Compartilhe