Além do Mais…

Irmãos e companheiros I

Um maçom trata outro maçom de irmão já que juntos formam uma irmandade, comumente unida em torno de certos objetivos. Um rotariano chama o outro de companheiro e, embora não tão unidos como os maçons, também nutrem laços de lealdade e amizade. Aquele que frequenta as duas entidades e é respeitado no meio por sua atitudes e ações, quase sempre é beneficiado por isso.

 

Irmãos e companheiros II

Terça-feira, na festa de comemoração pela eleição do terceiro vereador mais votado da cidade, que fez campanha com pouquíssimos recursos, topamos com muitos irmãos e companheiros, com um ar de felicidade e dever cumprido. Deduzimos que a missão desses homens e mulheres foi ajudar Hércules Giarolla, o Dr. Hércules, a ser eleger vereadores e não estranhem se o homem vier a ser presidente da Câmara.

 

O rei da IV…

Ele veio de uma cidade mineira de pouco mais de 2 mil habitantes e há anos vive em uma das áreas mais periféricas de Ribeirão Pires. Parafraseando um trecho bíblico: “Não havia beleza nele para que o desejássemos”. Baixo, marrento e simples, se transformou na mais nova realeza da cidade, já que depois da eleição e sua “reeleição”, o popstar da periferia se autodenominou o Rei da IV Divisão.

 

…vossa majestade, o Zé!

Essa figura, tão popular e ao mesmo tempo tão indecifrável, que tem inclusive nome de padroeiro, José, é nada mais nada menos que o nosso amigo Zé Nelson. Feliz com a conquista de meros 838 votos (o 12° na lista de mais votados) declarou para quem quisesse ouvir, que graças ao seu “alto desempenho” e “elevado nível” de popularidade, ele é digno de ser rei. Só resta saber se a majestade sabe, de fato, o que se passa com a plebe que vive pelos picos do Jardim Verão.

 

De que lado ele está?

Enquanto o espírito real lhe sobe a cabeça, sua mentalidade parece estar em curto. Zé Nelson, que era governista, virou saulista e se elegeu pelos petistas, deveria ser membro integrante da oposição ao futuro governo de Saulo Benevides. A tripolaridade da realeza o levou a disparar mais uma pérola. Do alto da tribuna, o mítico vereador disparou: “Saulo, já somos maioria na Câmara!”, incluindo a si mesmo no próximo governo.

Compartilhe