Além do Mais – 03/11/2016

Solemar I

Passadas as eleições, veio o esperado feriado que, embora tenha vindo numa quarta-feira, esteve sob o batismo de Helios, o Deus-Sol. Como ninguém é de ferro, uma “pedaladinha” no calendário pode ajudar. Em Ribeirão Pires, por exemplo, os funcionários públicos municipais desfrutaram de 5 dias de descanso, entre o último sábado (29) e ontem (02). Foi um festival de fotos nas redes sociais, em sua maioria mostrando os domínios de Poseidon, o Deus-mar.

Solemar II

Enquanto isso, em Ribeirão Pires, ninguém queria lá saber de emenda de feriado, já que segunda, terça e quarta, não houve atendimento nas Unidades Básicas de Saúde, por exemplo. Isso, aliado ao sucateamento do Hospital São Lucas e da UPA Santa Luzia, causou indignação em boa parte da população. Afinal de contas, em tempos de crise, poucos estão em condições de ver Helios e Poseidon de perto, não é mesmo – prova disso é que o número de pessoas que tem buscado o SUS é recorde…

M25.5

Falando em medicina, o CID 10 (Classificação Internacional de Doenças) M25.5 tem sido muito usado na cidade. “Dizem por aí” que, mesmo depois de um mês, tem gente que não aceitou muito bem a derrota nas urnas e, repetidamente, tem sido diagnosticado com esse código. Para quem não sabe, é a identificação de dor nas articulações. Mas, nesse caso, sendo mais específico, é mais conhecida como “Dor de Cotovelo”, algo que tem que ser tratado com urgência…

Acertando as contas I

A lei eleitoral, cada vez mais severa e exigente, tem obrigado candidatos e partidos a contratar profissionais afim de orientá-los na contratação de serviços, pagamentos e fechamento de contas, sob pena de multas e até mesmo inelegibilidade. Mesmo assim, vários candidatos – até mesmo majoritários – estão com as contas em aberto e, consequentemente, sujeitos a penalidades.

Acertando as contas II

Alguns candidatos alegaram que a longa greve dos bancos dificultou a execução dos pagamentos e, consequentemente, o fechamento das contas em tempo hábil, 1º de novembro, porém outros alegam estar sem recursos para o pagamento de cabos eleitorais, gráficas, jornais e revistas que, pelo visto, terão dificuldade para receber por seus serviços.

O sonho acabou?

O gabinete do prefeito de Ribeirão Pires, há anos, contava com um quadro ilustrando um teleférico ornando o ambiente. A imagem, com um bondinho fechado (embora tenha sido doada à municipalidade ainda em outra gestão) acabou fazendo o papel de “musa inspiradora” de Saulo Benevides que, como se sabe, colocou a obra como uma obsessão. Coincidência ou não, como se pôde notar na última coletiva de Saulo, o quadro “escafedeu-se”. Seria um sinal de que o teleférico já era?

Compartilhe