Saiba evitar doenças transmitidas por pombos, morcegos e ratos

Por Dra. Eliana Maciel de Góes – Médica Veterinária

Existem alguns animais que convivem com as pessoas, especialmente nas grandes cidades, e podem causar prejuízos econômicos e agravos à saúde pela transmissão de doenças. Por isso, animais como pombos, ratos, morcegos, entre outros, devem ser controlados para evitar danos maiores aos homens.

Assim como os humanos, esses animais precisam de três fatores para sobreviver: água, alimento e abrigo e por isto, costumam viver próximos às pessoas porque encontram abrigos nas frestas das casas, porões, sótãos, além da oferta de alimentos. Há também quem alimente voluntariamente animais como os pombos, o que pode oferecer um grande risco à saúde pública. Vale lembrar, no entanto, que os pombos não devem ser mortos, apenas controlados, já que têm importância ambiental assim como outras aves.

Medidas preventivas como a vedação de espaços e vãos e acondicionamento adequado do lixo são fundamentais porque eliminam oferta de abrigos e alimento. É preciso tomar cuidado ainda com as fezes dos pombos que podem estar infectadas com fungos, causando doenças como a criptocose (meningite), a histoplasmose (doenças pulmonares), a salmonelose (distúrbios gastrointestinais), além de dermatites e alergias. Por isso, é importante não deixar as fezes acumularem e, na hora de retirá-las, proteger o nariz e a boca com u

É preciso cuidado ainda com os ratos. Os sinais da presença destes roedores são fezes, trilhas, manchas de gordura e objetos roídos, o que indica infestação. Nesse caso, há o risco da leptospirose, uma doença causada por uma bactéria que chega ao ambiente através da urina do roedor, podendo infectar o homem ao entrar em contato com água ou lama contaminada por essa urina.ma máscara umedecida e finalizar com uso de água sanitária. O risco das fezes vale também para os morcegos, que também podem transmitir a histoplasmose, além da raiva, uma doença fatal em grande parte dos casos. Por isto, uma recomendação importante é não tocar em morcegos. Caso encontre algum caído nas residências, acionar o CCZ de sua cidade para a retirada. Também é preciso tomar cuidado com árvores frutíferas e frutas em locais abertos, que podem atrair morcegos. Aqui também vale o alerta de não exterminar morcegos sem necessidade real, pela importância ecológica à eles atribuídas.

Com a adoção de medidas preventivas (eliminação de abrigos e oferta de alimentos), os ambientes que freqüentamos se tornam mais saudáveis e, estaremos evitando o uso de produtos químicos, os quais poderão estar eliminando não somente as espécies indesejáveis, como também outras espécies benéficas e contaminando água e o solo.

 Cão para adoção

Crispina – Mestiça , porte grande, fêmea castrada e vacinada.

Compartilhe