Ribeirão Pires terá primeira escola ecológica

Educação aliada ao meio ambiente, uma grande fusão. Essa junção tão importante estará presente na Escola Municipal Palmira Antonio Pereira, no Jardim Aymoré, em Ribeirão Pires. Ela será a primeira escola ecossustentável da cidade. O estabelecimento de ensino receberá investimentos de R$132.837,00 para obras de reuso de água, captação solar, medidores sanitários e sensores nas torneiras. Os recursos são provenientes do FEHIDRO (Fundo Estadual de Recursos Hídricos do Estado de São Paulo), conquistados após a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano, Habitação, Meio Ambiente e Saneamento Básico (Sephama), juntamente com a Pasta de Educação e Inclusão, inscrever projeto voltado à questão. A Prefeitura entrará com contrapartida de 22%.

O prédio da Escola Municipal Palmira Antonio Pereira passará por reformas e intervenções que a transformará em uma unidade ecossustentável

A iniciativa tem por objetivo mostrar a importância da educação ambiental e preservação dos recursos naturais, conscientizar sobre a necessidade do consumo sustentável de água e energia elétrica.

O projeto inclui reformas e intervenções que envolvem mudanças no paisagismo, montagem de horta, implantação de sistema de captação de água de chuva e adequação para acessibilidade no local. “A escola será uma forma prática dos alunos desenvolverem a conscientização ambiental, através da vivência. É importante despertar a consciência ambiental das crianças para que criem hábito de consumo consciente, ambientando o local para o cenário de sustentabilidade. Através de uma nova consciência, o meio ambiente será preservado e isso é de fundamental importância em uma cidade como Ribeirão Pires, que é 100% preservação aos mananciais”, fala o secretário da Sephama, Temístocles Cardoso Cristófaro. Segundo ele, a Prefeitura realizará os procedimentos legais para contratação da empresa que executará a adequação da escola e, logo após, iniciará a reforma. “No próximo ano letivo a escola estará pronta”, afirma.

O titular da Pasta explica ainda que o programa prevê a ação em três escolas, uma em cada bacia: Guaió (4ª Divisão), Billings (Balneário Palmira) e em Ouro Fino. “Os conceitos de sustentabilidade é que serão repassados a toda rede, como em todos os prédios públicos”, conta o secretário.

A Escola Municipal João Midola, na 4ª Divisão, já foi inscrita para receber o mesmo projeto.

Compartilhe