Químico desenvolve verniz sustentável a partir de garrafa PET

A garrafa PET, uma das grandes vilãs do meio ambiente e que, na ocorrência de enchentes, aparecem aos montes nas ruas, podem ser transformadas em um verniz em pó, com utilidade para diversas aplicações, como em utensílios domésticos, eletrônicos e indústria automotiva. A matéria-prima substitui compostos derivados de petróleo. A criação, que já foi patenteada, ganhou a última edição do prêmio de pesquisa da Associação Brasileira da Indústria do PET – Abripet.

Garrafas PET passam por um processo que altera seu peso molecular

O experimento começou com as garrafas sendo moídas. Após essa ação, elas passam por um processo de degradação que altera seu peso molecular, que é seguido por outros processos até ser incorporado à receita que forma o verniz sustentável. No entanto, ainda é necessário aperfeiçoar a técnica antes de entrar no mercado, e corrigir algumas falhas, como a formação de bolhas, por exemplo.

Ainda não há previsão de quando o verniz em pó poderá ser comercializado, mas já existem no mercado tintas e vernizes que usam o PET como um de seus componentes.

Compartilhe