Nova gasolina deixa o ar menos poluente

A partir deste mês, andar de carro no Brasil, passou a ser menos prejudicial ao meio ambiente. A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) determinaram que, a partir do último dia 10, a gasolina automotiva produzida no Brasil deverá apresentar, no máximo, 50 mg/kg de enxofre total, gerando menos poluentes que irão aos ares.

Ou seja: a cada um milhão de partículas, haverá no máximo 50 de enxofre (50 partículas por milhão, ppm). O limite antigo era de 800 ppm, mas a Petrobras, fornecedora da gasolina vendida no Brasil, já vinha operando com 225 ppm. Com os novos limites estabelecidos pela Agência Nacional do Petróleo, os carros novos, devem poluir até 60% menos, e quem ganha com isso é o meio ambiente.

Falando no aspecto prático, o caro leitor já pode ter olhado para o céu e visto uma extensa mancha preta. Agora, essa mancha poderá começar a diminuir com o uso da nova gasolina, que irá melhorar a qualidade no ar que respiramos, já que a maior parte da poluição atmosférica se origina justamente dos automóveis.

Além de melhorar a emissões da etapa L-6 do Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores (Proconve), a ANP informou que a gasolina “se adaptará às novas tecnologias da indústria automobilística como a injeção direta de combustível” e, também, alinhará “alguns parâmetros da especificação aos requisitos internacionais e, o mais importante, atendendo às necessidades ambientais de redução dos níveis de poluentes veiculares atmosféricos”.

A Petrobras investiu R$ 20 bilhões na construção de 21 unidades de tratamento nas refinarias para produzir a nova gasolina. O combustível brasileiro agora atinge os mesmos padrões de qualidade da Europa e Estados Unidos.Com isso ainda esse ano nos postos de gasolina irá ter somente um tipo de gasolina que será a nova gasolina.

Compartilhe