De quem é a responsabilidade?

Eliana Maciel de Góes

Médica Veterinária

CRMV 4.534

A legislação municipal prevê que os proprietários só poderão encaminhar seus animais aos CCZ´s para destinação em casos de enfermidades ou agressões comprovadas, portanto não recebem mais animais sadios para eutanásia. Desta forma, o abandono nas vias públicas se tornou ainda mais frequente, não sendo difícil encontrar vários cães perambulando pelas ruas. Na maioria das vezes, as praças são moradias desses animais que por lá ficarão até que alguém se sensibilize e lhe dê um lar ou até serem recolhidos pelos Centros de Controle de Zoonoses.

CCZ’s não recebem mais animais sadios para eutanásia

O problema se agrava, dada à incrível capacidade de reprodução dos cães e gatos. No Estado de São Paulo, estima-se que há um cão para cada quatro habitantes e um gato para 14. Cada cachorra ou gata pode dar duas crias ao ano e estas fêmeas poderiam gerar em condições normais ao redor de sete filhotes por ano, contra um bebê por mulher.

Em linhas gerais, o crescimento populacional de cães e gatos tem representado um problema de saúde pública, devido à possibilidade de transmissão de doenças entre animais e o ser humano. O risco de acidentes por mordeduras também é preocupante e acaba, segundo autoridades de saúde, representando prejuízos para o Estado, com internações e tratamentos, além da transmissão da raiva, que recentemente teve casos da doença registrados no País.

A captura e eutanásia de animais não representam medida de controle populacional, pois não atuam nas principais causas do problema: a procriação descontrolada de cães e gatos e a falta de responsabilidade do ser humano quanto à sua posse, propriedade ou guarda.

Cabe ao centro de Controle de Zoonoses a execução de programa permanente de controle reprodutivo de cães e gatos além de atuar em outros pilares como educação em posse responsável, registro e identificação de animais, adoção responsável e legislação que dê suporte a essas ações.

O programa de controle populacional de cães e gatos do Estado de São Paulo informa que o controle das populações de animais e o controle das zoonoses devem ser contemplados em programas ou políticas públicas nos diferentes municípios. A implantação de um programa de controle animal, além da alocação de recursos financeiros, técnicos e humanos, exige planejamento que englobe ações preventivas, diagnóstico, controle, monitoramento, avaliação e dedicação permanente.

Compartilhe