Aquarismo: um pedacinho do mar dentro de sua casa

Para os amantes da vida marinha, ter um pedacinho do mar em casa é a realização de sonho. Mas para desfrutar deste privilegio, a pessoa deve estar preparada para cuidar adequadamente de seu aquário.

Pensando sobre o tema, o jornal Mais Notícias conversou o biólogo Aristarco Galache, especialista pós-graduado em manejo de animais silvestres em cativeiro.

EcoMais  – Como você começou no aquarismo?

Aristarco Galache – Para responder a pergunta, volto no tempo. Aos 14 anos, comecei criando e reproduzindo os peixes conhecidos como Lebistes (Guppy). Misturava padrões e era fiel na manutenção dos filhotes, esse era meu hobby. Em 2007, meu hobby passou a ficar sério, reproduzindo peixes palhaços e corais em cativeiro. Depois disso, passei a vender via fórum de aquário e em seguida abri uma loja virtual voltada para o aquarismo marinho, oferecendo equipamentos, aquários, produtos, corais, peixes importados e reproduzidos em cativeiro.

EM – Então essa é a sua especialidade?

AG – Minha especialidade é reprodução em cativeiro de peixes palhaço e corais. A ideia principal no aquarismo marinho é trazer para dentro do aquário um ambiente que encontramos no mar, sendo assim você pode ter um “mini ecossistema marinho” dentro de casa, com toda a complexidade da vida dos peixes.

EM – Mas como funciona a reprodução dos peixes palhaços?

AG – Peixes palhaços são hermafroditas, ou seja, possuem os dois sexos e podem mudar quando necessário pois quando jovens não têm sexo definido, ou seja, nascem com capacidade para serem machos ou fêmeas. Se no local existir uma fêmea (que é dominante) todos os outros permanecerão machos até que aquela fêmea morra ou migre. Depois disso, o macho maior do grupo se modifica em fêmea e assume a postura da antiga. O peixe palhaço tem a fecundação externa, a fêmea coloca os ovos e o macho fecunda em seguida. Em cativeiro, elas desovam em azulejos.

EM – O que é fundamental para um bom aquário?

AG – É preciso equipamentos adequados para manter a boa qualidade da água. Um termostato (aquecedor) para manter a temperatura ideal, bombas de circulação para oxigenar o aquário e imitar o movimento das águas no mar, uma luminária que consiga fazer o papel da luz natural com uma intensidade luminosa que os peixes fiquem confortáveis e os corais se desenvolvam bem.

EM – Para quem quer ter um aquário de água salgada em casa, quais as dicas?

AG – É preciso ler muito sobre o assunto antes de colocar a mão na massa, por isso peça orientação de varias pessoas que tem conhecimento sobre o assunto. Procure sempre por lojas especializadas em aquarismo marinho e não esquecer que o foco deve sempre ser o bem estar dos peixes.

EM – Para concluir, como praticar o aquarismo de forma consciente?

AG – Todo aquarista/hobbysta quer ter um aquário com peixes coloridos, estrelas do mar, ofiúros, ouriços do mar e corais dos mais variadas formas e cores. Mas nem todo organismo pode estar dentro do nosso aquário, pois alguns deles estão em risco de extinção. O aquarista consciente não compra peixes capturados se a espécie já está sendo reproduzida em cativeiro, sempre verifica se é autorizado pelo IBAMA. Pensa em primeiro lugar no bem estar dos organismos vivos dentro do aquário dele. Assim como qualquer bicho de estimação, os peixes dependem dos cuidados dos donos que devem sempre zelar sempre pela qualidade de vida e bem estar dos animais.

Serviços – Para os interessados em montar em casa um aquário de água salgada, acesse o site www.arydospalhacos.com.br ou entre em contato pelo telefone (11) 9.8435-0644.

 

Compartilhe