Zona Azul: abuso causa reclamações da população

Munícipes reclamaram à redação do jornal Mais Notícias de um abuso cometido por pessoas portadoras de cartões especiais de Zona Azul, popularmente chamado de “Placa VIP” que permite estacionamento gratuito por até duas horas em uma mesma vaga.

Um funcionário da Câmara estaciona indevidamente seu veículo na mesma vaga durante todo o horário de expediente com o uso do cartão especial

As queixas indicam que pessoas que receberam o benefício da Câmara Municipal estariam cometendo abusos e deixando seus veículos estacionados por todo o dia, infringindo assim o principal conceito do sistema, que é a rotatividade das vagas e a possibilidade de que todos os motoristas possam parar nas ruas centrais.

O presidente da ACIARP (Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Ribeirão Pires), Gerardo Sauter, afirmou que a entidade “está ciente do problema e já comunicou o presidente da Câmara, Gerson Constantino”. Ele ainda explicou que “o gerenciamento destes cartões é da Câmara e a ACIARP não tem acesso”.

Sauter explicou que no caso dos comerciantes, que pagam um valor fixo mensal por um cartão especial, há o respeito às regras: “as pessoas deveriam ter o bom senso de usar estes cartões apenas pelas duas horas estipuladas”.

Questionado, Constantino afirmou que tem ciência do abuso e que recebeu, de fato, queixas de que a infração estaria sendo cometida por um funcionário da casa: “pedi o número do cartão de identificação para identificar quem seria esta pessoa”, afirmou o presidente. Ele afirmou que haverá uma solução para breve, até março, quando a Casa irá ocupar novas instalações. Constantino ainda aproveitou para reiterar que o sistema é transparente e que não há abusos: “tudo foi feito de comum acordo com a ACIARP e há regras bem definidas. Por exemplo: cada vereador tem direito a apenas dez cartões”.

Modernização

Para 2012, o sistema deve ter melhorias, que também ajudariam a coibir abusos. Segundo Gerardo Sauter, a ACIARP estuda uma modernização do sistema, mas não com os parquímetros, esquema adotado por Santo André que, segundo ele, “não se pagariam”, mas sim com informatização do sistema: “estamos negociando com uma empresa de Florianópolis para modernizar a Zona Azul com o uso de tablets. Uma solução moderna e viável para cidade”, afirmou.

Constantino, por sua vez, afirmou que apóia a novidade: “sou a favor da transparência e da modernização e tudo o que vier para melhorar será bem-vindo”.

Compartilhe