Ultrassonografia 4D – A imagem em benefício da ciência

Antigamente as pessoas não poderiam nem imaginar que existiria um aparelho que pudesse ver o bebê dentro da barriga. Havia muita ansiedade dos pais para saber o sexo do bebê, se tinha algum defeito ou se estava ganhando peso adequadamente.

Atualmente, com o avanço da tecnologia na medicina, os equipamentos de Ultrassom podem realizar imagens em 3D e 4D, sendo utilizados na maioria das vezes para visualizar a face do feto, seus movimentos e os detalhes de sua fisionomia em todos os ângulos, identificando semelhanças com os pais, proporcionando maior aproximação entre os pais e o bebê.

Dr. Valberto Fusari Jr. explica que na Ultrassonografia 4D é possível ver as expressões fetais, como o bebê sorrindo, com a língua para fora ou chupando os dedos

A diferença da imagem 3D para o Ultrassom convencional é o ganho da noção de profundidade como no cinema 3D, e mais recentemente na TV 3D, dando uma percepção e realidade da imagem muito maior. No Ultrassom convencional, geralmente é difícil para os pais entender e perceber a feição do bebê e os detalhes do rosto do seu filho.

Infelizmente, o ultrassom 4D não é colorido, não sendo possível definir a cor da pele, dos olhos ou cabelos. A imagem é de uma única cor, podendo ser bronze, azul ou verde, sendo a cor mais utilizada a cobre, que é meio alaranjada e se aproxima do tom da pele.

A diferença entre o Ultrassom 3D e 4D é que a imagem em 3D é estática e no 4D temos os acréscimo do tempo, sendo possível ver a imagem 3D em movimento e em tempo real. É possível ver as expressões fetais, como o bebê sorrindo, com a língua para fora ou chupando os dedos.

O Ultrassom 3D / 4D contribui de forma pouco significativa no diagnóstico de patologias ou problemas de crescimento e desenvolvimento fetais, porém possibilita algumas vantagens como a análise de pequenos defeitos de superfície, possibilitando uma melhor compreensão pelos pais e profissionais de outras especialidades.

Cada vez mais estudos vêm sendo realizados para se avaliar a aplicabilidade clínica do Ultrassom 3D/4D a fim de ampliar seu uso rotineiro como método diagnóstico. E o melhor é que não existe risco ou contra-indicações para o Ultrassom, e não há limitações do número de procedimentos.

A melhor idade gestacional para a realização do exame é entre 22 e 28 semanas, sendo que antes disso o rosto fetal não tem muitos detalhes e após esta data o feto já está grande e ocupando muito espaço dentro da cavidade uterina, frequentemente com os membros ou cordão umbilical na frente do rosto, e nesta situação é impossível ver o rosto completo na tela, prejudicando ou impossibilitando a realização do exame.

“Ver o meu filho se movimentando em tempo real é muito emocionante!”, comentam os pais que tiveram essa oportunidade.

Dr. Valberto Fusari Jr.

Médico Ultrassonografista

Responsável pelo setor de Ultrassonografia do Laboratório IPAC

CRM 109.792

Compartilhe