Rubão confirma novo horário das sessões e intenção de abrir CEI da Saúde

Novo presidente da Câmara de Ribeirão Pires, o vereador Rubão Fernandes (PSD), falou ao Mais Notícias sobre as medidas que serão tomadas para esta legislatura, bem como as novidades que os munícipes poderão esperar na Casa de Leis para as próximas semanas.

O presidente Rubão Fernandes está implantando mudanças

O presidente Rubão Fernandes está implantando mudanças

Mais Notícias – Rubão, no ano passado, a não instalação da CEI da Saúde fez com que os munícipes mostrassem muita insatisfação. Você foi um defensor da instalação, chegou até a entrar em um certo embate com os vereadores que eram contrários. Na sua opinião, considerando tudo o que aconteceu, o que impediu a instalação da CEI?

Rubão – Falando direto e reto, acho que faltou respeito com a população, faltou vontade política. Eu penso que quem não deve, não teme, e esse não vai ser meu caso. Eu não devo.

MN – Houve algum tipo de pressão da gestão anterior? Você tem a intenção de instalá-la?

MN – Acho que sim, não sei porque não abriu. Vou repetir de novo quem não deve não teme. Se chegar na minha mão, vou abri-la. Chegar na minha mão, eu certamente assino a autorização para que ela seja aberta.

MN – Os membros do executivo só se tornam ficha suja se a câmara referendar o processo do Tribunal de Contas, algo que antes era direto. E a Corte deu um parecer negativo em relação às contas de 2014 de Saulo Benevides (PMDB). Como vai ser a análise da Câmara em relação ao ex-prefeito?

Rubão – Vamos sentar com todos os vereadores, fazer uma comissão aqui na Câmara e avaliar tudo da maneira correta. Foi o que nós fizemos em 2013, quando era injusto não aprovar a conta do Saulo que já entrou com déficit. Na ocasião, demos uma chance a ele, só que ele insistiu no mesmo erro. Vamos fazer uma análise jurídica e não política.

MN – Essa que vai ser a tônica da sua gestão, mais técnica do que política?

Rubão – Exatamente. Mais técnica do que política.

MN – A população questionava que a maior parte da Câmara não tinha coragem de se contrapor à gestão anterior. Chegaram a brincar que era a “câmara do amém”. Você está apresentando uma postura diferente, já querendo mudar essa imagem perante a população. Como será o Rubão presidente?

Rubão – O Rubão na verdade vai ser pautado juridicamente, o que é bom para a cidade vai ser aprovado. Além disso, estou fazendo algumas mudanças, trazendo um advogado, o Dr. Fábio, que irá ajudar a Dra. Cibele e a Dra. Rosana vai se aposentar. Ele está levantando todas as questões referentes a licitações, todos os processos, então a gente quer ter mais transparência. Em dezembro, a câmara ficou devendo R$ 125 mil. Hoje, estamos praticamente eliminando isso. Esse ano, todas as contas foram pagas. A Câmara vai trabalhar com transparência. Viemos para mudar.

MN – Você está sendo alvo de uma onda de boatos dando conta de que poderia não terminar o mandato. O que você tem a comentar sobre esse assunto?

Rubão – Na verdade, é um problema de 2008. Está na mão do meu advogado, que está cuidando disso para mim. Eu particularmente estou tranquilo. Tanto que revertemos 80% do que foi pedido em primeira instancia. Temos certeza de que conseguiremos reverter os outros 20%. Lógico que há pessoas que irão questionar, até reverter o povo vai lembrar. Isso é natural. Mas meu foco é administrar a Câmara Municipal, meu respaldo como presidente é estar junto com as pessoas que trabalham aqui e os vereadores. Graças a Deus, hoje a harmonia está muito boa, o que é nítido nas reuniões. Estamos discutindo tudo o que chega a respeito da Câmara, estamos analisando os projetos para que tudo seja mais organizado, não desmerecendo a gestão anterior.

(NR: Segundo o advogado que o defende, não há transito em julgado e, portanto, nada que o impeça de exercer o cargo. O defensor também ressaltou que, na sua área, a Saúde, é permitido que profissionais da saúde e da educação ocupem cargos em diferentes municípios de forma não simultânea, exatamente o que está sendo questionado na ação que está correndo contra o vereador).

MN – Os vereadores Amigão D’Orto, Amaury Dias e Anselmo Martins protocolaram o pedido para mudança do horário das sessões. Ela vai acontecer?

Rubão – Entramos em um consenso a respeito deste assunto para chegar a um horário que também não prejudique a Câmara em custos. Na terça-feira dia 7, nós vamos ter a primeira sessão, às 14 horas, como no ano passado. A seguir, de terça, passar para quinta-feira às 14h. Em março, passaremos para as 17h. Será assim para ver a reação dos vereadores e do público.

MN – De fato, a população quer mudanças.

MN – Iremos fazer uma reforma na Casa, melhorando o controle de acesso, com catracas, crachá para identificar a imprensa, espaços reservados para idosos, etiquetas identificativas para entrar nos gabinetes, estacionamento para munícipes. Enfim, estamos planejando tudo. Nós vamos fazer as coisas, mas primeiro temos que colocar a casa em ordem. São coisas mínimas, mas que já dão um destaque.

MN – E em relação às finanças? No ano passado, houve dívidas trabalhistas que ficaram em aberto. Como será?

Rubão – No último dia 19 (de janeiro), nós acertamos tudo. Os funcionários antigos, os funcionários que saíram até me agradeceram no Facebook. Graças à Deus estamos conseguindo colocar a casa em ordem.

MN – O TCE tem pedido às Câmaras Municipais para que tenham quadro técnico próprio, diminuindo o número de cargos em comissão. Como será gerenciada esta questão?

Rubão – Já foram tomadas medidas que diminuíram isso (NR: Cada gabinete terá um assessor a menos nesta legislatura). Mas faremos um concurso público mais adiante. Isso está em análise pelo jurídico e mais adiante teremos uma decisão.

MN – E a relação com a Prefeitura? Como está? Na gestão anterior houve problemas com projetos que entraram em regime de urgência que irritou a Câmara.

Rubão – O líder do governo é o Banha (PPS), segunda ou terça-feira tudo tem que estar aqui. Se tiver alguma coisa em que tivermos dúvida, chamaremos o jurídico para explicar. Até por isso, a mudança no dia da sessão irá ajudar. Coisas planejadas têm que vir antes. Quanto ao prefeito, minha ligação com o Kiko vem desde Rio Grande da Serra, eu sempre o apoiei. Sei que ele tem uma série de problemas a resolver, eu sei como está a situação e é preciso ter respeito.

MN – Para encerrar, o que a população pode esperar do presidente Rubão?

Rubão – Transparência e fiscalização. Iremos fiscalizar a Prefeitura, mas sempre mantendo a parceria.

Compartilhe