Ribeirão Pires se despede de Pele

De chapéu e com um olhar profundo fruto da idade avançada, Pele caminhava pelas ruas de Ribeirão Pires distribuindo gratuitamente sabedoria, boas histórias, risadas e muitas plantas. Sim, ele foi o “jardineiro” responsável por arborizar a cidade durante a expansão populacional.

No entanto, essa cena ficará agora apenas na memória daqueles que tiveram a honra de conhecer Edward Vicente Fortes, falecido no último dia 07 de agosto, por complicações de saúde.

Pele: o jardineiro de Ribeirão Pires (1930-2017)

Nascido em 12 de janeiro de 1930, ele passou o final da infância e o início da adolescência acompanhando as notícias sobre a Segunda Guerra Mundial. Na época, “eu era pele e osso, então me colocaram esse apelido, que depois ficou só Pele. Foi com esse nome que fiquei conhecido”.

Pele viu a cidade ser fundada e acompanhou de perto toda a transformação de Ribeirão Pires, sendo muito mais do que testemunha. Tapeceiro de profissão, Pele enveredou pela política e se tornou vereador, período no qual ajudou a dar identidade para o município. “Ribeirão era uma cidade muito pequena, a maioria das ruas fui eu que dei o nome, como a rua onde eu moro hoje, a Alferes Botacin, e outras mais de 50 ruas”. Entre seus projetos de maior relevância, destacam-se a criação da antiga rodoviária e o beneficio para que aposentados pagassem impostos municipais com 50%  de desconto. Relembrando sua época como parlamentar, Pele reconhecia: “Eu fui o recordista de requerimentos”.

Mas não foi só na política que Pele contribuiu para o desenvolvimento de Ribeirão Pires. Formado pela Escola Paulista de Jardinagem, Pele era conhecido como o jardineiro da cidade. Seu amor por plantas era tão grande que sozinho, plantou mais de 1.300 árvores na região. Quem anda pelas avenidas Francisco Monteiro, Fortuna, Prefeito Valdírio Prisco, Praça Central e no Jardim Japonês pode não saber, mas boa parte das árvores plantadas nos canteiros foram colocadas lá pelas mãos carinhosas de Pele.

E foi esse intenso amor pela natureza que em 2011 levou o ex-vereador a ser homenageado com uma estátua, em tamanho real, no centro da cidade. Esta, por sinal, é uma das raras estátuas no Brasil cujo homenageado ainda estava vivo quando inaugurada. A escultura é uma  replica perfeita feita por um artista plástico, retratando todo amor que o jardineiro tem pelas plantas. A obra simboliza um antigo sonho de Pele: “Eu tenho em mente caracterizar os terrenos, tirar os muros das casas e fazer tudo em plantas e flores, isso alegraria as casas e as pessoas teriam a cada estação uma fachada diferente. Ribeirão nasceu pra ser uma cidade sem muros”.

Hoje, a cidade e o Mais Notícias se despedem dessa figura ímpar. Ele juntou-se aos seus grandes amigos Roberto Botacin e Valdírio Prisco, os quais recordava com muita saudades. Finalmente a espera para revê-los terminou. Adeus Pele!

 

Compartilhe