Rede municipal de ensino usa sala de informática como ferramenta pedagógica

Salas de informática bem equipadas e com profissionais capacitados para orientar e ensinar. É assim que escolas da rede municipal de ensino de Ribeirão Pires atuam com essa ferramenta pedagógica que complementa o trabalho em sala de aula.

Na Escola Municipal Professora Lavínia de Figueiredo Arnoni, mais de 300 alunos utilizam os equipamentos durante o horário de aula

Cada sala de informática possui 17 computadores, equipados com conteúdo pedagógico, como jogos educacionais, internet e outras ferramentas para serem usadas pelos alunos. Na Escola Municipal Professora Lavínia de Figueiredo Arnoni, por exemplo, são mais de 300 alunos que utilizam os equipamentos durante o horário de aula.

A professora Sônia Siqueira, que passou pela capacitação oferecida pela Secretaria de Educação e Inclusão, já utiliza o espaço para dar continuidade ao trabalho em sala de aula. “Buscamos atividades atrativas, que estimulem criatividade e que não sejam cansativos, para que o aluno sinta vontade de aprender e tenha maior facilidade para isso”, afirmou.

A Secretária de Educação e Inclusão, Rosi Ribeiro de Marco, aposta no uso das salas de informática como mecanismo de fixação dos conhecimentos adquiridos nas aulas. “Temos que buscar novos moldes para o dia a dia na escola e juntar ferramentas úteis para o trabalho diário com as crianças, oferecendo educação com estrutura”, disse a secretária.

Todas as salas possuem o mesmo padrão. Foram investidos R$1,1 milhão para a criação deste recurso que começou a ser implantado no ano passado, em 18 escolas municipais.

Capacitação dos professores

Para a utilização das salas de informática, 287 professores passaram por capacitação, recebendo a formação necessária para aliarem o novo recurso ao trabalho já abordado em sala de aula.

Valquíria dos Santos, responsável pelo projeto, acredita que o uso dessa ferramenta agrega uma visão ampla ao professor. “Ele não fica engessado ao trabalho em sala de aula. Pode abordar o mesmo conteúdo, mas ampliando o olhar das crianças e formando uma ética digital em cada uma delas”, apontou.

Os professores começaram a ser capacitados em agosto de 2010, antes mesmo das salas serem entregues. Agora, com a montagem, todos estão preparados para atuar em sala de aula. “Mas essa preparação é contínua”, explicou a secretária Rosi de Marco. “Eles deverão sempre passar por atualizações e formações constantes, para que o recurso seja sempre aproveitado da melhor forma possível.”

Compartilhe