Quase metade da população brasileira está acima do peso

Levantamento realizado pelo Ministério da Saúde apontou que o excesso de peso e a obesidade aumentaram nos últimos seis anos no Brasil. De acordo com o estudo, a proporção de pessoas acima do peso no país avançou de 42,7%, em 2006, para 48,5%, em 2011. No mesmo período, o percentual de obesos subiu de 11,4% para 15,8%.

A proporção de pessoas acima do peso no país avançou de 42,7%, em 2006, para 48,5%, em 2011

O estudo retrata os hábitos da população brasileira e é uma importante fonte para o desenvolvimento de políticas públicas de saúde preventiva. Foram entrevistados 54 mil adultos em todas as capitais e também no Distrito Federal, entre janeiro e dezembro de 2011.

O aumento das porcentagens de pessoas obesas e com excesso de peso atinge tanto a população masculina quanto a feminina. Em 2006, 47,2% dos homens e 38,5% das mulheres estavam acima do peso ideal. Agora, as proporções subiram para 52,6% e 44,7 %, respectivamente.

O problema do excesso de peso entre os homens começa cedo. Entre os 18 e 24 anos, 29,4% já estão com o Índice de Massa Corporal (IMC) – razão entre o peso e o quadrado da altura – maior ou superior a 25 Kg/m², ou seja, acima do peso ideal. Já a proporção em homens com diferença etária de apenas 10 anos (idades entre 25 e 34 anos) quase dobra, atingindo 55% da população masculina. Na faixa etária de 35 a 45 anos, a porcentagem alcança 63% dos homens brasileiros.

Homens são mais ativos – O relatório também apresenta dados sobre a prática de atividades físicas e constatou que os homens são mais ativos: 39,6% se exercitam regularmente. Entre as mulheres, a frequência é 22,4%.

A tendência percebida é de aumento de sedentários com o aumento da faixa etária. Se 60,1% dos homens entre os 18 e 24 anos praticam exercícios como forma de lazer, este percentual reduz para menos da metade aos 65 anos (27,5%). Na população feminina, as proporções são semelhantes em todas as faixas etárias, variando entre 24,6% (entre 25 e 45 anos) e 18,9 % (maiores de 65 anos).

O emagrecimento – Insatisfeitas com o próprio corpo, muitas pessoas buscam em dietas e remédios a fórmula mágica para o emagrecimento. Como cada caso é um caso, procurar um profissional da área para entender e tratar o problema é a melhor opção. “Não é raro surgirem dietas completamente absurdas sendo alardeadas pela Internet, em blogs ou divulgadas pelas redes sociais. O melhor é sempre buscar orientação especializada, seja com nutricionistas, nutrólogos (as) ou endocrinologistas”, orienta Antonio Carlos do Nascimento, doutor em Endocrinologia pela Faculdade de Medicina da USP.

É comum ouvir em entrevistas de grandes artistas, principalmente de modelos com corpos esculturais, que eles comem de tudo. Será que realmente é possível manter o peso adequado sem restrições? “A matemática nunca nos abandona, tudo é uma questão de aritmética: se consumirmos menos do que gastamos nós emagreceremos, o inverso é verdadeiro. A questão é que podemos nos manter magros comendo alimentos péssimos para o organismo, e aí entra a orientação nutricional”, finalizou Dr. Antonio Carlos.

Compartilhe