Professores da rede municipal receberão novo piso a partir de maio

Em reunião realizada na última terça, a presidente do Sineduc (Sindicato dos Trabalhadores da Educação do Município de Ribeirão Pires), Perla de Freitas, apresentou uma pauta de revindicações ao prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides, com vias a buscar melhorias para a categoria.

Dentre elas, a principal foi assegurar que os professores da rede municipal recebam o piso nacional da categoria que, para 2013, é de R$ 1567 para 40 horas semanais de trabalho. Considerando que hoje o salário pago é de R$ 1451, seriam 7,97% de aumento. “O piso será pago a partir de maio (a data-base), retroativo a janeiro”, explica Perla. Entretanto, ainda haverá uma nova reunião para definir a forma do pagamento da diferença salarial entre janeiro e abril.

Para a Prefeitura, ainda há outra preocupação, já que o reajuste dos professores irá aumentar a folha salarial em R$ 1,3 milhão e, como funcionários públicos, eles também fariam jus a outro reajuste, de 6,8% (a reposição da inflação), que ainda será discutido entre as partes, já que, de acordo com a Lei de Responsabilidade Fiscal, a Administração está próxima ao limite de gastos com folha salarial, que é de 54% do orçamento anual: “a Prefeitura está com problemas financeiros e esta questão ainda será levantada”, explica Perla. Apesar das pendências, a presidente do Sineduc avalia a negociação como “positiva” e ressalta que o sindicato seguirá negociando.

Outros compromissos – De acordo com Perla de Freitas, o prefeito já se comprometeu a retomar um direito que havia sido retirado no ano passado, a chamada “hora-banco”, que dava a todos os servidores o direito de, no dia do pagamento, ter uma hora para resolver pendências bancárias. Além disso, será constituída uma comissão mista para discutir plano de carreira e a reforma do Estatuto dos Servidores e também a definição de um ciclo de formação de gestores e combate ao assédio moral.

Compartilhe