Contrato emergencial da merenda de Ribeirão Pires é 25% mais barato

A Prefeitura de Ribeirão Pires passou, no início deste ano, momentos difíceis após a polêmica vitória de uma padaria como fornecedora da merenda escolar. O CAE (Conselho de Alimentação Escolar) exigiu o cancelamento da licitação após constatar que o valor apresentado pela vencedora do certame estava acima dos custos básicos de mercado. Agora a Prefeitura firmou um contrato emergencial atingindo uma economia de 25% sobre o valor que seria pago, caso a licitação fosse homologada.

Valores apresentados pela empresa vencedora foram considerados elevados

Gastos com merenda escolar tem redução superior a R$ 1,7 milhão

Maria Zilda, membro do CAE (Conselho de Alimentação Escolar), explicou que a entidade ainda não obteve acesso a toda planilha de gastos da nova fornecedora, porém reconhece que a economia existe. “Barramos aquela licitação porque os preços eram absurdos. Ainda vamos analisar as planilhas de gastos dessa nova empresa antes de emitirmos um parecer completo. O valor atual está dentro daquilo que o conselho considera aceitável”, comentou a representante. Para evitar novas polêmicas, dessa vez o CAE acompanhará todo o processo licitatório, uma vez que o atual contrato é de apenas três meses.
As novas fornecedoras de produtos alimentícios para a Secretaria de Educação, Inclusão e Tecnologia de Ribeirão Pires são as empresas Flora Inês e Jade. Os valores gastos com essas empresas será de R$ 5.698.000,00. A padaria classificada em primeiro lugar no processo licitatório cancelado havia apresentado preço de R$ 7,4 milhões. O Prefeito Saulo Benevides avaliou o caso positivamente: “Tivemos um desgaste, mas estamos gastando menos e mantendo a qualidade das refeições”.
Em Ribeirão Pires, a Municipalidade atende não só a rede municipal de ensino, como também escolas estaduais e entidades conveniadas. No total são servidas 35 mil refeições por dia. Com o imbróglio da licitação, o fornecimento da merenda em algumas escola estaduais foi prejudicado. “Foram casos isolados, mas infelizmente aconteceu”, revela a integrante do CAE.
Agora, a vice-prefeita e secretária de Educação, Leonice Moura, destaca que todos os produtos que são servidos na merenda tiveram prova de qualidade e foram analisados pela Secretaria e por membros do Conselho, tendo alcançado a normalidade do serviço.

 

Compartilhe