O cão Vira-lata

Eliana Maciel de Góes

Médica Veterinária

CRMV 4535

Mistura de muitas raças, de porte grande, médio ou pequeno, pelagem longa ou curta, pretos, brancos, amarelos, cinza, pintados, tigrados, eis o viralata, um cão forte, saudável, amigo. Hoje chamado sem raça definida, ou seja SRD, o viralata é um cão formidável, que nada fica a dever aos cães de raça pura.

Ser viralata é ser como nós, povo brasileiro, mistura de muitas raças

A mistura de raças favorece o fortalecimento desse tipo de animal, ao contrário daqueles de raça que muitas vezes carregam hereditariamente algumas características que os tornam sensíveis a determinados fatores ambientais ou genéticos como propensão a doenças de pele, olhos, alergias etc.

Do ponto de vista do temperamento os viralatas em geral são cães alegres e sociáveis.  Os de porte pequeno são ótimos cães de companhia, os de porte médio ou grande, além de companhia, exercem  a tarefa de guardiões de propriedades. Podem ser adestrados tal qual os cães de raça e, como são inteligentes, aprendem com facilidade o que lhes ensinam.

Alguns nasceram em casa, outros na rua. Outros ainda, são frutos de cruzamentos de animais de raça e assim sugem os cães mestiços, que não deixam de ser viralatas. Na maioria das vezes desprezados por não terem “pedigree”, que é o atestado de pureza de raça, sofrem muitas injustiças principalmente porque não têm valor de mercado ou não correspondem à vaidade de certas pessoas que gostam de ostentar seu cão “raçudo.”

Independente de quaisquer considerações, o viralata é uma presença constante em nossas vidas. Muitos deles são conhecidos em todo o mundo porque se tornaram astros do cinema, outros pertencem à comunidade e são tratados pelos moradores de determinada rua, muitos são companheiros de pessoas infortunadas que vivem pelas ruas e outros ainda vivem em companhia de famílias que os adoram e são tratados a pão-de-ló.

Ser viralata não é problema. O triste é ser cão abandonado (e muitos, inclusive os de raça, o são), passar fome e frio, não ter carinho, receber pontapés e pedradas. O importante é ser bem tratado.

Afinal de contas ser viralata é ser como nós, povo brasileiro, mistura de muitas raças.

Compartilhe