Museu Ferroviário fecha para readequações

Desde dezembro de 2017, o Museu Ferroviário de Ribeirão Pires “João Evaristo de Abreu Duarte” passa por reforma administrativa.  O objetivo é adotar medidas técnicas e mecanismos de gestão recomendados pelo IBRAM (Instituto Brasileiro de Museus – guardião do Estatuto Nacional de Museus – 2009), e pelo SISEM (Sistema Estadual de Museus), seguindo os marcos da política nacional de museus.

Além de melhorias, espaço terá novo tipo de gestão

As adequações serão realizadas pela Prefeitura por meio da Secretaria de Turismo e Desenvolvimento Econômico e do CATP (Centro de Apoio Técnico ao Patrimônio) e, além das melhorias, outra pretensão é a de aproximar o público do local. Durante o período de ajustes, o museu estará fechado para visitação. A reabertura está prevista para abril de 2018, mês em que se comemora o Dia do Ferroviário.

“Ribeirão Pires é cidade que desfruta o título de Estância Turística e precisa colocar em prática política de preservação de seu patrimônio cultural e natural integrada ao Plano Diretor de Turismo e ao Plano Diretor da Cidade. Com isso, realiza a manutenção do título, atrai mais visitantes e movimenta o turismo e economia da cidade”, afirma o prefeito em exercício, Gabriel Eid Roncon.

Inaugurado em 2016, o Museu Ferroviário municipal é o segundo deste segmento na região do Grande ABC. Em 1999, o edifício foi oficialmente concedido pela União à Prefeitura para utilização em ações culturais e educativas. “Diferentemente do Museu Funicular de Paranapiacaba, que é focado no colecionismo e no objeto tridimensional (objetos não-documentais), o Museu Ferroviário de Ribeirão Pires tem foco no ensino da história, na ação educativa”, explica Marcílio Duarte, diretor de Patrimônio Cultural da cidade.

Ainda este ano, está prevista a criação do conselho gestor, formado majoritariamente por ferroviários, para a condução do museu por meio de gestão participativa.

Compartilhe