Em reunião com pais de alunos, Saulo promete Lavínia reformado em fevereiro

Na manhã da última terça-feira, uma comissão de pais de alunos da Escola Lavínia Figueiredo Arnoni se reuniu no Paço Municipal com o Prefeito Saulo Benevides para cobrar uma solução mais rápida para a questão dos alunos que ficaram desalojados após o desabamento de parte do reboco do teto de uma das salas ocorrido em outubro passado.

Encontro foi realizado na manhã da última terça-feira

Desde então, o prédio está interditado e os cerca de 400 alunos matriculados na instituição foram deslocados para uma área desocupada do Colégio Felício Laurito, que fica no Jardim Pastoril, o que tem causado certo transtorno, já que a maior parte dos alunos reside nas imediações da escola, que fica ao lado da biblioteca, no Centro Alto, e que segundo uma das mães “não tem condições” de abrigar os alunos.

Acompanhados do vereador Renato Foresto (PT), que intermediou o encontro, os pais levaram um abaixo-assinado cobrando tanto a reforma do prédio – e a volta das crianças ao seu local de origem – antes do início do próximo período letivo em fevereiro de 2014, quanto uma solução para as classes entre o 6º e o 9º ano, que não são oferecidas pela instituição.

O secretário de Governo, Valmir Copina, que também estava presente, explicou que “as reformas começarão em breve em todas as escolas”. O prefeito ressaltou que “houve problemas burocráticos que fizeram com que a obra não pudesse ser realizada em caráter emergencial”. Mas houve o compromisso de que no dia 4 de fevereiro, o prédio estará em ordem “nem que seja preciso trabalhar aos sábados, domingos, feriados e à noite”, afirmou o prefeito que ainda garantiu “total segurança” às crianças no Felício.

“Acredito no que ele (o prefeito Saulo Benevides) disse e também que irá cumprir o que prometeu, atendendo a nossas reivindicações”, afirmou José Roberto Tavares Santos, pai de aluno e um dos membros da comissão.

Novo Prédio – Quanto à outra reivindicação, as classes do 6º ao 9º ano, o prefeito afirma que a prefeitura estuda outro local no Centro Alto para erguer uma nova escola. Desta forma, em um prédio maior, o serviço seria ampliado. Todavia ainda é um projeto a longo prazo.

Compartilhe