Elzinha cobra mais espaço no PT

Este ano, o PT irá passar por seu Processo Eleitoral Direto, que são as eleições para a escolha dos quadros diretivos de todo o país. Em Ribeirão Pires, atualmente, há uma negociação para que, assim como em 2009, haja um consenso entre todos os grupos do partido no processo. À época, como solução para um racha interno, ficou definido que cada um dos grupos interno teria oportunidade de indicar o comandante do diretório municipal.

Para ex-vereadora, eleições internas são chance para discussão

Entretanto, como processo natural, há mais grupos no partido. Um destes novos quadros tem como integrante Elza da Silva Carlos, a Professora Elzinha, que cobra mais participação. Anteriormente parte do grupo encabeçado por Mário Nunes, hoje ela faz parte de outra ala, uma das novas: “montamos nosso grupo e dentro da proporcionalidade do partido, não estamos representados, já que a discussão anterior ficou prejudicada”, explica a ex-vereadora. Desta forma, o pleito é que todos os grupos sejam contemplados. “Não queremos rachar o partido, muito pelo contrário, queremos apenas ampliar a discussão”. Vale ressaltar que seu atual grupo, na composição anterior, foi fundamental para se evitar uma indesejável turbulência em um momento delicado com a proximidade das eleições.

Elzinha considera que o PED é uma chance ímpar para que o PT volte a crescer na cidade e, por isso defende sua realização, caso não se chegue a um novo consenso: “Penso que o partido, e eu me incluo nisso, abandonou algumas bases. Precisamos nos fortalecer e trazer a militância para a discussão para ter mais força política. A eleição, o PED, é uma boa oportunidade para discutir ideias, dialogar com os filiados. Um partido só é forte quando discute a conjuntura com sua base”.

Ela conclui deixando claro que não é candidata ao comando da legenda: “meu grupo não está preocupado com quem será o presidente, até porque o PT tem bons nomes para isso, mas sim como ele representará o partido”.

Compartilhe