Demóstenes Gil da Silva, um professor centenário

Nesta edição, a redação do Jornal Mais Notícias, buscou por munícipes que revelam um pouco da cara da cidade. O entrevistado foi o professor Demóstenes Gil da Silva que conta um pouco de sua vida e planos para esse ano.

Professor primário Demóstenes Gil da Silva, conta sua história e seus planos

Na vida, fazemos várias escolhas e uma delas e a profissão. Em alguns casos, acontece exatamente o contrário, ela nos escolhe. Assim foi com o professor primário Demóstenes. “Tenho 99 anos, e não existe um só dia que não me orgulhe da minha profissão. Amo ensinar.”

Para buscar melhores oportunidades, se mudou da Bahia para São Paulo em 1926 aos quatorze anos. “Meu primeiro emprego foi na Editora Nacional, meu chefe foi Monteiro Lobato. Sou grato pela oportunidade, e pelo incentivo que me foi dado. Tive o privilégio de me aproximar cada vez mais da leitura”.

Ele  recebeu o total apoio para seguir na profissão, “na verdade, meu interesse foi despertado pelo próprio Monteiro Lobato, que percebeu qual era meu verdadeiro dom”. Seguindo o sonho, se formou na Escola Normal Paulista Caetano de Campos em 1932.

O professor revela percalços, “algumas dificuldades existiam, uma delas era o preconceito, por ser nordestino não foi bem aceito. Isso na realidade, aconteceu desde que coloquei os pés na grande São Paulo, e manifestado várias vezes, principalmente quando comecei a dar aulas”.

Não deixar se abater, “antes de chegar à cidade de Ribeirão Pires, morei em outros lugares, como por exemplo, em Curitiba. Um belo dia, um pai tirou o filho da escola alegando que um nordestino não poderia ensinar”, relata Demóstenes.

A chegada à estância turística, aconteceu no ano de 1972. “Gostei assim que me mudei, achei a cidade calma, com poucas casas, e com muito ar puro. O que posso dizer? É bom viver aqui”, comenta professor.

A figura de educador sempre presente, “como é lindo, poder educar e fazer parte da história da criança. É a melhor sensação do mundo, quando você é responsável por ensinar alguém a ler”, explica entrevistado.

Sobre método de ensino o professor se define como didático. “Ensinar, não é apenas despejar todo o conteúdo, esperando a compreensão imediata. O trabalho deve ser realizado de forma lúdica, ser atrativo aos olhos de quem aprende”.

O munícipe, hoje aposentado apresenta suas atividades, “a jardinagem e a leitura fazem parte de minha rotina. No tempo livre o autor Huberto Rohden é a melhor companhia, suas ideias sobre a educação me encatam, o considero um pai”.

Os planos para este ano vão além de comemorar o aniversário de 100 anos, “estou trabalhando em um livro, claro que o tema abordado será sobre educação. Pretendo publicar ainda em junho”.

Compartilhe