Cuide de sua pele na estação mais quente do ano

Altas temperaturas exigem mais cuidado com a pele

Estamos na primavera e, em pouco mais de um mês, entraremos no verão. Essas duas estações são a época do ano em que as pessoas se descuidam e acabam ficando mais tempo expostas ao sol para acalcar a tão desejada pele bronzeada.

Apesar de a exposição solar ser importante, já que é fonte de vitamina D e faz com que aumente a produção de beta-endorfina, substância que causa sensação de bem estar, alguns cuidados são imprescindíveis e devem ser seguidos em qualquer idade, como usar filtro solar com fator de proteção 30 ou superior, proteger os lábios e tomar sol antes das 10h e após as 15h.

Os guarda-sóis, também aliados na proteção da pele, devem ser produzidos em poliéster e serem de cor escura para oferecer mais proteção. Neste tipo de material, eles são mais eficazes do que os feitos de algodão, nylon e cor clara. Seguir uma alimentação balanceada, abandonar o tabagismo e hidratar a pele regularmente também são medidas que auxiliam muito na manutenção do bom aspecto cutâneo.

Com o aumento da temperatura, a viscosidade do sebo diminui e facilita a sua secreção pelas glândulas sebáceas, aumentando a oleosidade da pele, principalmente em locais com maior concentração de glândulas, como é o caso da face e, em especial, fronte e nariz.

“Em jovens com pele oleosa e tendência à acne, o ideal é o uso de hidratantes não oleosos com formulações em gel-creme. Em peles maduras e ressecadas, o recomendado são os hidratantes em creme que podem ser combinados a substâncias como retinol e vitamina C. Alguns produtos, como o ácido hialurônico e a água termal, auxiliam no tratamento e na prevenção do ressecamento”, acrescenta o dermatologista Marcos Eiji Hayashida, do Hospital e Maternidade Dr. Christóvão da Gama

Segundo o dermatologista, nesta época do ano a pele passa grande parte do tempo úmida, devido à grande produção de suor, principalmente nas dobras como na virilha e nos pés, predispondo-os a processos inflamatórios e a infecções, como micoses. Além disso, o profissional ainda alerta sobre os riscos do uso de receitas caseiras sem qualquer aprovação de um profissional da área médica, pois podem provocar reação alérgica, dermatites de contato e queimaduras graves na pele.

Compartilhe