Cólicas: como se livrar delas

Não é só o mau humor da TPM (Tensão Pré-Menstrual) que inferniza a vida das mulheres. As cólicas também fazem parte do pacote que tiram qualquer uma do sério.  Entre 70 e 90% das mulheres sofrem com essas dores. Para algumas, o desconforto é tão grande que as impedem de trabalhar ou estudar.

Entre 70 e 90% das mulheres sofrem com as cólicas

As cólicas aparecem em consequência das contrações realizadas pelo útero para eliminar o sangue. Mas não há problema sem solução. A seguir, confira algumas dicas que ajudam a dar um basta nas indesejadas.

Anticoncepcionais à base de hormônios – A pílula ou outros métodos do gênero têm ação comprovada contra as dores de quem pena com o fluxo muito intenso. Como ela diminui a intensidade do fluxo, as cólicas também acabam diminuindo.

Massagens – Técnicas que utilizam o calor (como a massagem de pedras) têm ótimo efeito contra as dores e os inchaços tão comuns no período. As massagens ayurvédica, tuiná, o shiatsu e a reflexologia melhoram a circulação e relaxam a musculatura.

Terapias alternativas – A acupuntura é indicada tanto para aliviar as dores como para prevenir o surgimento delas. Para a Medicina Tradicional Chinesa, a cólica menstrual surge devido a um desequilíbrio entre o fígado, o baço e o pâncreas. As agulhas vão agir equilibrando estes órgãos e, assim, tratando outros sintomas da TPM até regularizar o ciclo. A talassoterapia é outra opção. Além do calor, a técnica usa princípios ativos da água do mar, que penetram na pele e melhoram os sintomas da TPM, incluindo as cólicas.

Exercícios físicos – Quando treina, você aumenta a dose de endorfina que circula no sangue. Esse hormônio provoca uma sensação de prazer e euforia, ajudando a esquecer o desconforto. Além disso, o esforço físico faz com que os vasos do colo uterino se dilatem, facilitando a passagem do sangue. Fora isso, os líquidos retidos que causam o inchaço, tanto da mama como do ventre, são mais bem drenados com o aumento da temperatura corporal e com a transpiração.

Bolsa de água quente – O calor alivia as dores porque relaxa os músculos, dilata os vasos capilares e causa a sensação de bem-estar.

Peixe – De acordo com especialistas, uma dieta rica em peixe auxilia o controle dos espasmos. A sugestão refere-se ao fato de que a prostaglandina é produzida com base em ácidos graxos, e peixes são ricos nessa substância.

Chá- Chás de camomila ou de menta, quentes, ajudam a aliviar a dor além de proporcionar uma deliciosa sensação relaxante.

Exclua as gorduras – Frituras, manteigas e carnes gordurosas são as principais responsáveis pela elevação dos níveis de estrógeno e consequente aparecimento das cólicas.

Fibras – Cereais integrais, frutas e verduras favorecem a eliminação do estrógeno em excesso (hormônio que leva ao espessamento do útero e acaba causando as contrações musculares para saída do sangue menstrual). Menos estrógeno é igual a menos contrações e, portanto, menos dores.

Abacaxi – A fruta é rica em bromelina, uma substância que melhora digestão e também tem ação antiinflamatória.

Cálcio – Vegetais verdes escuros, leite e derivados dele agem diretamente sobre a musculatura lisa do útero, reduzindo as contrações musculares dolorosas. E, por serem ricos em triptofano (aminoácido ligado à produção de serotonina), esses alimentos ainda reduzem a tensão e ansiedade típicas da TPM. O magnésio tem efeito parecido e pode ser encontrado na banana, no leite, na beterraba e na aveia.

Compartilhe