Câmara apresenta projeto que cria Comissão da Verdade em Ribeirão Pires

 

Em plena época de reconhecimento pelos 50 anos da instalação do Golpe Militar de 1964, que levou o país a 20 anos de combates civis, exílios, torturas e centenas de mortes, a Câmara Municipal de Ribeirão Pires, através de uma iniciativa do vereador Renato Foresto (PT), propôs um projeto que instaura a Comissão da Verdade em Ribeirão Pires. O projeto entrará na pauta de votação da próxima sessão

A mesa diretora assina projeto que entrará na ordem do dia da próxima sessão

A mesa diretora assina projeto que entrará na ordem do dia da próxima sessão

O objetivo do projeto é colaborar com as iniciativas federal e estadual de pesquisar e apurar histórias de pessoas que foram torturadas e mortas durante o período do Regime Militar. Citando algumas das atrocidades cometidas naquela época, o vereador ressaltou a importância histórica dessa comissão. “Estamos comemorando 50 anos do início daqueles dias em que muitas pessoas foram torturadas e mortas. Precisamos fazer com que esses fatos venham à tona e de fato possamos honrá-las”, disse o petista sendo aplaudido pelos presentes.

Nesta mesma sessão, o clima tranquilo pairava até que o vereador Anderson Benevides (PSC) tentou homenagear o secretário da Sectur (Secretaria de Esportes, Cultura, Lazer e Turismo), Paulo César. O jovem vereador ouviu duras críticas de outros membros da Casa de Leis, como por exemplo, os vereadores Renato Foresto, Edson Savietto, o Banha (PDT), e Hércules Giarola (PROS). Após os “ataques” deu-se inicio a uma pequena discussão fora dos microfones entre os vereadores Anderson e Hércules que logo terminou com conversas ao pé do ouvido.

A vereadora Cléo Meira (PTN), fazendo uso da palavra, bateu mais uma vez em cima da tecla da falta de aparelho de mamografia na cidade. “Será possível que uma cidade como Ribeirão Pires só tem homens? Não existem mulheres aqui?”, questionava a vereadora que ouviu do vereador Rubão (PMDB), que logo haverá um “mutirão da Saúde” na cidade onde as mulheres poderão participar e realizar todos os seus exames. “Estou ciente de que precisamos desse aparelho, já não é a primeira vez que faço o pedido. Nossas mulheres estão morrendo de câncer e nós precisamos realizar estes exames preventivos”, finalizou a vereadora.

 

Por Ygor Andrade

Compartilhe