Cadastro para moradias populares será iniciado em agosto

Ter um lugar digno para morar e chamar de seu. Isso será realidade para muitas famílias de Ribeirão Pires com a implantação do “Programa Minha Casa, Minha Vida”, do governo federal, e da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano), do governo do Estado. A Sephama (Secretaria de Planejamento Urbano, Habitação, Meio Ambiente e Saneamento Básico de Ribeirão Pires) informou que o cadastramento de famílias terá início em agosto, quando será feita uma campanha publicitária detalhando a questão. O cadastro será feito de forma itinerante, ou seja, no local, priorizando os núcleos (são 33), onde há os assentamentos precários e áreas de risco. Só após esse levantamento, as inscrições serão abertas para a cidade toda. “O pessoal que fizer o cadastro já vai estar garantido com a residência. Serão 360 famílias que vivem em área de risco e com até três salários mínimos que já sabem que vão ter habitação”, disse o secretário Temístocles Cardoso Cristófaro. Após isso, o próximo passo será ter um banco de dados onde a Secretaria poderá ter clareza do déficit habitacional na cidade e, assim, iniciar o Plano Local de Habitação de Interesse Social, que terá informações mais concretas e um plano habitacional bem definido para o município.

O primeiro empreendimento será no Jardim Serrano, sendo 240 unidades do “Minha Casa, Minha Vida” e 120 da CDHU

Cristófaro conta que, por parte da CDHU, já existe manifestação favorável para a construção em Ribeirão Pires, e o projeto “Minha Casa, Minha Vida” tem avançado bastante. “Nós já temos o parecer favorável da Caixa Econômica Federal no que diz respeito ao pré-orçamento; já dividimos a área de 720 mil metros quadrados em seis matrículas para poder diminuir a área máxima em 10 mil metros onde nós vamos construir, e as outras são áreas de reserva. Esse desmembramento já está indo para cartório. A gente estava aguardando as diretrizes da compatibilização do Plano Diretor com a Lei da Billings para aprovação do projeto. Com essa aprovação, a gente dá entrada no Plano de Trabalho no Ministério das Cidades para garantir a verba”, conta.

O primeiro empreendimento será no Jardim Serrano, sendo 240 unidades do “Minha Casa, Minha Vida” e 120 da CDHU. A estimativa de investimento é de R$ 9,7 milhões.

Segundo o secretário, a previsão é de que a licitação das obras seja aberta até novembro.

A Sephama está fazendo levantamento de outras áreas para a construção de mais unidades, como no Jardim Primavera e no bairro Santa Luzia.

Compartilhe