Autoridades policiais admitem: Ribeirão chegou ao fundo do poço

Em reunião realizada na última quinta-feira, na sede da Aciarp que contou com a presença da comandante da PM, a Tenente Graziela Basili, do delegado-assistente Dr. David Pimentel Barbosa Di Siena, da Presidente do Conseg, Carla Soares e representantes da prefeitura, de comerciantes e membros da sociedade civil de Ribeirão Pires, foi discutida a questão da segurança na região central da cidade, alvo de várias queixas, como furtos, tráfico e a ação de pichadores. No encontro, as autoridades admitiram estar impotentes diante do crescimento da criminalidade na cidade.

Nos últimos meses, a região, em especial as ruas Felipe Sabbag e Stella Bruna Cecchi Nardelli, bem como o restante da cidade, viu um aumento no número de reclamações a respeito de ocorrências como brigas, roubos e tráfico de drogas, assim como os casos de pichações e vandalismo. Exatamente por isso, há o pleito por mais policiamento e ações mais efetivas por parte das autoridades, como ocorrido na própria Felipe Sabbag, alvo de uma ação preventiva de fiscalização por parte das autoridades no último domingo em um bar que é apontado como “problemático” por frequentadores da região.

Na reunião, Donizetti Amante, representante dos comerciantes e Gerardo Sauter, presidente da Aciarp, apresentaram dois abaixo-assinados subscritos por cerca de 300 pessoas, cobrando uma ação mais efetiva por parte das autoridades. “O documento foi encaminhado ao prefeito, que se comprometeu a resolver o problema”, afirmou Amante. “Os comerciantes estão preocupados com a situação. Agora, por exemplo, poderíamos manter nossos comércios abertos até mais tarde, com o horário de verão, mas fica impossível com tantos problemas. Na reunião, nos apresentaram muitas desculpas, mas queremos ver ação urgente das autoridades. Estamos ansiosos para ver os resultados. Se nada acontecer, vamos ao Ministério Público e outros órgãos governamentais”, completou.

Ajuda da população – A presidente do Conseg, Carla Soares, que esteve presente ao encontro, reafirmou a importância da presença dos munícipes nas reuniões do Conselho, tanto as ordinárias, que ocorrem na primeira quarta-feira do mês, quanto nas itinerantes, que acontecem nos bairros. “O Conselho é o meio legal de levar as questões da segurança adiante. As atas das reuniões vão direto ao secretário de Segurança Pública, que tem o poder de coordenar as ações e estruturar melhor o trabalho das polícias. Por isso é importante que a população participe das reuniões”. Ela, inclusive, terá uma reunião no próximo dia 5 com Fernando Grella, secretário estadual de segurança pública, em que apresentará as demandas de Ribeirão Pires.

Prefeitura – Em nota, a Prefeitura afirmou estar com diversos projetos em curso como “a implantação de sistema municipal de segurança 24 horas feito com câmeras em 2014”, iniciativa conjunta com a Polícia Militar, de acordo com o sistema de Informações Criminais (Infocrim), da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

Compartilhe