“A Casa dos Gatos” causa transtorno aos moradores do Jardim Maristela

Em visita ao Jardim Maristela, um fato intrigou a reportagem do Jornal Mais Notícias: uma grande quantidade de gatos que se aglomerou sobre o muro de uma casa no começo da Rua Ernesto Alves de Arruda. Ao visitar o local, pudemos constatar um cenário de completo abandono.

Residência abandonada vira criadouro de felinos

A residência em questão encontra-se abandonada, tomada pelo lixo e com acúmulo de água parada o que pode, como é de ciência pública, ser até mesmo ponto de proliferação do mosquito transmissor da dengue.

Ao conversar com alguns vizinhos, descobrimos que o imóvel está desocupado, já que seu morador estaria hospitalizado há algum tempo e que os gatos são muitos. “Passam de 15”, disse um morador. “Eles chegam a entrar em nossas casas para fazer suas necessidades”, disse outro (todos pediram para ter suas identidades preservadas). Fizemos algumas visitas ao local e, de fato, os gatos estão, como se dizia antigamente, saindo pelo ladrão. Em uma das visitas, contamos sete. Em uma segunda, onze, em cena que seria até engraçada não fosse trágica, com gatos na calha, no muro, no portão e deitados na calçada que, por sinal, ainda tinha um prato com ração deixado por alguém que, certamente, estava com pena dos bichanos.

É importante ressaltar que nenhum dos animais tinha coleira e que, ao que parece, estão se reproduzindo no local, sem vacinação ou castração. Além disso, as fezes do gato podem funcionar como agente transmissor do protozoário causador da toxoplasmose, doença que pode causar febre, dores pelo corpo e até mesmo cegueira e morte em humanos.

Questionada sobre o assunto, a Prefeitura informou que “uma equipe do Centro de Controle de Zoonoses enviará profissional para vistoriar o local em questão e tomar as providências necessárias que cabem à Administração Municipal”. Entretanto, “por se tratar de imóvel particular, a Prefeitura irá notificar o proprietário caso haja irregularidades ou riscos à saúde dos moradores do entorno desta área”.

Compartilhe