Violência no trânsito. . .

Toda vez que assistimos aos noticiários na TV, não cansamos de ouvir os apresentadores comentando exaustivamente as imagens que são apresentadas, considerando-os violência nas estradas. Também ocorre o mesmo quando se referem aos acidentes urbanos, e não raro em seus discursos, ficam o tempo todo procurando encontrar nos órgãos de trânsito um culpado para tais desditas.

Em grande parte destes acidentes, estão presentes dois fatores: a negligência e a imprudência

O que acontece na realidade, e que ninguém para pra analisar e refletir, são as condições em que os fatos aconteceram, olhando de maneira crítica e a luz da legislação vigente que é o CTB (Código de Transito Brasileiro), quantas regras deixaram de ser observadas pelos condutores envolvidos.

Em grande parte destes acidentes, estão presentes dois fatores que são exaustivamente debatidos nos diversos treinamentos realizados por todos os condutores, sejam eles simplesmente usuários de veículos para atender suas necessidades pessoais, ou motoristas profissionais com diversos cursos de especialização: a NEGLIGÊNCIA e a IMPRUDÊNCIA, que contribuem de maneira decisiva para o envolvimento em acidentes de grandes proporções e até fatais.

Tudo isto, somado à uma herança cultural, leva o condutor ao desrespeito constante de alguns elementos básicos e que podem poupar vidas preciosas, tais como, os limites de velocidade, as ultrapassagens em locais proibidos, o uso cada vez mais frequente de bebidas alcoólicas, entre outros fatores .

Outro ponto importante a ser considerado, e que a grande maioria insiste em deixar de lado, é a distancia de segmento principalmente nas rodovias.

Acreditando nesses princípios e praticando de forma sistemática, as técnicas da Direção Defensiva, certamente o condutor estará evitando acidentes.

O bom condutor abre mão da sua preferência, em beneficio da segurança.

PENSE NISSO!

Samuel Nunes

Agente de Transito, consultor e instrutor

Compartilhe