Vereadores não votam maioria dos projetos enviados pelo Executivo

A primeira Sessão Ordinária de 2018 da Câmara dos Vereadores de Ribeirão Pires foi movimentada. Após apreciar e acatar o veto do Prefeito Kiko Teixeira aos projetos dos edis, os vereadores não votaram seis dos sete itens colocado em pauta pelo poder Executivo em caráter de urgência.  Apenas o item que se refere ao evento “Superando Barreiras”, foi votado e aprovado por unanimidade.

Dos sete itens de caráter de urgência, apenas um foi votado

Os projetos não foram a votação sob a justificativa de “Falta de Parecer”, que as comissões de Justiça e Redação, composta pelos vereadores Edison Savietto, o Banha (PPS) e Sivino de Castro (PRB) e Finanças e Orçamento, pelos vereadores Edmar Aerocar (PV), Danilo da casa da Sopa (PSB) e José Nelson da Paixão (PPS), não tiveram tempo para analisar os textos e convocaram Sessão Extraordinária para a próxima segunda-feira (5), às 10h, a qual serão votados os itens 01/2018, que diz respeito ao repasse de dinheiro às entidades assistenciais do município e o item 05/2018, que se refere à doação do prédio que pertencia ao Lar Frederico Osanam, no Parque Aliança, para a assistência Viva bem a Idade que Tem.

“Gostaria da presença dos presidentes e representantes de todas as entidades assistenciais aqui na Câmara na segunda-feira, até para que nós, vereadores, pudéssemos conhece-los”, sugeriu o vereador Edmar Aerocar (PV).

Os demais itens, 03/2018 que aborda a Preservação do Patrimônio, 04/2018 referente aos quiosques atrás do Terminal Rodoviário, item 06/2018 da Lei do Silêncio e 07/2018 correspondente ao leilão de carros que estão do pátio e os que não serão mais utilizados, vão ser votados na próxima sessão ordinária, marcada para quinta.

Segundo apuração do Mais Notícias, os itens emergenciais foram levados aos vereadores entre terça e quarta feira para a votação de ontem. “Não vamos votar nada sob pressão”, observou Rubão (PSD), presidente da Casa, que completou: “Quero deixar claro que a Câmara Municipal de Ribeirão Pires não é contra nenhuma entidade assistencial. Temos que ter tempo para análise dos projetos.”

 

Compartilhe