Uma vida de amor e companheirismo entre mãe e filho

Maria Josefa da Silva e Sérgio Ricardo eram companheiros inseparáveis. Ela, enfermeira aposentada conhecida na cidade pelos anos trabalhados no Hospital Ribeirão Pires, onde ajudou muitas gestantes na hora do parto. Ele, locutor e dono da voz mais conhecida de Ribeirão Pires.

Nos últimos 10 anos, Sérgio dedicou integralmente sua vida à mãe

Nos últimos 10 anos, Sérgio dedicou integralmente sua vida à mãe

Sérgio dedicou sua vida para cuidar da mãe. Desde pequeno, depois que seu pai faleceu, ele se tornou o protetor da Zefa (como era conhecida entre amigos), após ser abandonada pela família do marido. Piauiense com origem na roça, Zefa deu a Sérgio uma herança valiosa: amor à vida e às pessoas.

Sérgio retribuiu o amor de sua mãe fazendo tudo por ela. Em 2007, com estado de saúde debilitado, agravado com três AVCs, ela já não podia mais cozinhar, realizar tarefas domésticas e até tomar banho era um fardo. Assim Sérgio passou a dedicar todo seu tempo “cuidando da mãezinha”.

Por 10 anos ele viveu para ser o cuidador de sua mãe. “Minha rotina era dedicada a ela. Tudo o que eu fazia era pra ela. Além de mãe, ela era como minha filha. Eu cuidava dela com muito carinho”, comenta o locutor.

Para ele, dedicar a vida ao cuidado da mãe nunca foi um fardo. Ele trata o assunto como uma missão divina: “As pessoas perguntam por que nunca casei. Eu respondo que não tenho vocação para o matrimônio. Minha missão nessa Terra era cuidar da minha mãe”.

No último dia 26 de março, apenas cinco dias antes de Sérgio completar 51 anos, acamada e com broncopneumonia, Zefa faleceu nos braços do filho. “Saiu dos braços do filho para os braços do Pai”, disse um amigo.

Com a morte da mãe, Sérgio considera ter cumprido sua missão. Agora ele busca um novo propósito para a vida: “Peço a Deus uma luz quanto a nossa missão na Terra. O que Deus quer de mim agora? Ele me deu uma boa voz para que eu leve Sua mensagem às pessoas”.

Ainda tentando colocar a vida em uma nova rotina, Sérgio sente muita falta de sua mãe. “Mas a fé que tenho me sustenta hoje”. E se pudesse falar com sua mãe mais uma vez, ele sabe exatamente o que diria: “Eu pediria perdão a ela no que eu errei, não fui um filho perfeito. Mas eu amo minha mãe”.

Esse será o primeiro Dia das Mães que Sérgio passa sem estar ao lado de sua companheira. Amigos fizeram convites para que eles não passe esse dia especial sozinho. Seu exemplo vem comovendo muitas pessoas e certamente continuará a inspirar muitas outras. “Nesse Dia das Mães, abrace a sua, diga que a ama e expresse seu amor. Ela merece”, finaliza o dono da voz mais famosa de Ribeirão Pires.

 

Compartilhe