Após impasse, tomógrafo começa a operar no Hospital São Lucas

Adquirido em 2014 pela gestão Saulo Benevides, instalado e depois retirado da UPA Santa Luzia, o tomógrafo de Ribeirão Pires, paralisado desde 2015, voltou a funcionar na última quarta-feira no Hospital e Maternidade São Lucas. Após vistoria da Toshiba, empresa produtora do equipamento, o tomógrafo foi liberado para realização de exames e, à princípio, atenderá casos de urgência, emergência e a fila de pacientes que esperam por exames.

Atualmente, 1700 pessoas aguardam por atendimento. Segundo Patrícia Freitas, secretária de Saúde e Higiene do município,

Casos emergenciais e exames da fila de espera já estão sendo executados

será feita reconvocação para o agendamento, além da realização de até 30 exames por dia, de segunda a segunda, das 8h às 17h, mesmo horário em que funcionará o tomógrafo. “Considerando a demanda que temos hoje, a expectativa é zerar a fila de espera em até seis meses”, disse a secretária.

Para que não ocorra o uso do tomógrafo de forma desnecessária, os pacientes passarão por protocolos que analisarão em quais casos serão necessários a utilização do equipamento. Dois médicos serão responsáveis por essa triagem, que definirá se o caso é de exame ambulatorial ou de urgência. “Não é interessante que ninguém passe por exame que traga radioatividade para o corpo sem necessidade, então, vamos colocar esses protocolos em prática para pedir os exames no tomógrafo com certa cautela” destacou Patrícia. Ainda segundo a secretária, a demora que se deu para o funcionamento do tomógrafo, que estava no São Lucas desde junho deste ano, foi em decorrência da “revisão da Toshiba. Houve uma análise minuciosa, de ‘fio por fio’”.

O prefeito Kiko Teixeira, por sua vez, assinalou que a qualidade de vida das pessoas que dependem dos exames vai melhorar. “Tínhamos dez exames de urgência sendo realizados na cidade de Mauá e, aqui, teremos 30 diários, independente se é de urgência ou emergência. Nossa missão é promover melhor qualidade de vida das pessoas que estão sob nossa tutela, principalmente na área da Saúde”, concluiu.

Além de ser a fabricante do equipamento, a Toshiba também é a responsável por sua manutenção, que será realizada de forma preventiva quando necessário.

Compartilhe