*Tapetão e *pocilga

Por Gazeta

Outro dia um candidato ficha suja, acusou outros de estarem com medo de disputar contra ele uma eleição limpa e tentar afasta-lo no tapetão. O veículo que divulgou a fala do ficha suja, foi condenado pela justiça eleitoral a conceder direito de resposta.

Agora o mesmo veículo num ato vil e covarde, sabe-se a mando de quem, agride uma mãe que tenta ajudar o filho a sair de uma situação difícil junto a justiça.

O ato covarde perpetrado contra a dita senhora que disputa uma eleição na cidade, tem a conotação de uma agressão física com a vítima amarrada, de joelhos, completamente indefesa a mercê de seus algozes. Física porque a dor de uma mãe que vê o filho sofrendo é física, perguntem a qualquer mãe, e indefesa porque esta mãe não tem culpa dos fatos ocorridos com seu rebento e tornou-se vítima da maldade dos adversários que num ato de desespero, como já ocorreu no passado, investem contra ela, cidadã de postura  irretocável, digna de todos os elogios pelo trabalho exercido em prol de famílias que carregam consigo a responsabilidade de ter um filho especial.

E já que falamos em tapetão, vamos falar de pocilga que é parte do título deste artigo, que confesso, escrevo com raiva.

Se uma das partes envolvida na disputa é acusada de usar o tapetão, no caso a justiça eleitoral, a outra está levando a disputa para a pocilga, onde os mesmo acostumados ao ambiente, levam a nítida vantagem e refocinham livremente na imundice que eles mesmos criam.

Este tipo de ataque a esta altura da disputa pode se tornar uma arma de dois gumes, visto que ações como esta todos sabem como começam, mas o final é uma incógnita.

*Tapetão: Tribunal onde são resolvidas as questões jurídicas referentes ao futebol, em última instância.

*Pocilga: Curral de porcos – coisa imunda. Lugar muito sujo ou repulsivo.

Compartilhe