SPMar inicia desapropriações para obras do Rodoanel

Já em curso, as obras do trecho leste do Rodoanel, que passará pela cidade de Ribeirão Pires, ainda geram uma série de dúvidas especialmente em relação às desapropriações que estão programadas para a cidade. Sobre isso, e outros assuntos, o Jornal Mais Notícias manteve contato com Marcelo Afonseca, Diretor-Executivo da SPMar, concessionária responsável pela obra.

Obras do trecho leste devem ser concluídas em 2014

De cara, ele já deu uma boa notícia para a população: haverá um número menor de desapropriações do que o estipulado no decreto 56.814/11, calculadas inicialmente em torno de 900 que, com a mudança, devem ficar em um número menor. “Não iremos utilizar os 200 metros que foram estipulados em lei, mas apenas 130 metros”. Com isso, haverá uma diminuição do número de pessoas que serão afetadas.

As pessoas que serão afetadas ainda não foram comunicadas pela empresa, uma vez que o processo de detalhamento da obra e suas necessidades está sendo finalizado:”há pessoas que seriam atingidas pelo decreto, mas com a reforma do projeto não serão”. Por agora, já foi feito o cadastramento de todos os possíveis imóveis a serem desapropriados e o processo está em fase de comunicação e posterior início das negociações com os proprietários dos imóveis.

Há também a questão das eventuais ocupações ilegais que, de acordo com o diretor da SPMar “serão avaliadas junto com os municípios”.

“Isso será feito a partir desta semana”, afirmou Afonseca antes de completar: “a tratativa será direta com cada munícipe nos próximos quinze dias e serão feitas propostas de acordo com o de mercado, não será uma oferta fora de razão”, afirmou, antes de completar: “evidente que as pessoas têm um valor de referência e isso será negociado”.

Ou seja: a população deve aguardar pelo contato de um representante identificado da empresa antes de tomar qualquer iniciativa. Todo este trâmite deve ser encerrado entre fevereiro e março de 2012, quando o trecho deve estar com a obra em curso na sua plenitude.

Junto com as propostas, a empresa também apresentará uma cartilha explicando como /será feita a obra no intuito de melhor esclarecer a população. “Pedimos a todos que fiquem tranqüilos”, completa Afonseca.

Meio Ambiente

A obra é de grande magnitude e, exatamente por isso, será necessária uma compensação ambiental. O procedimento ficará a cargo da Secretaria Estadual do Verde e do Meio Ambiente.

Para isso, a empresa terá que gastar um valor equivalente a 0,5% do valor da obra, o que equivale a R$ 9 milhões, aproximadamente, pagos de acordo com o andamento dos trabalhos. Até este momento, a SPMar depositou o valor de R$ 600 mil na conta da secretaria.

Andamento da obra e impacto

Neste momento, a obra está com três frentes de trabalho ativas. As duas primeiras ficam em Mauá, no entrocamento do Trecho Sul com o Trecho Leste, na Avenida Papa João XXIII e no túnel que passará por baixo da Gruta Santa Luzia. O terceiro é uma ponte que está sendo erguida na cidade de Suzano. O restante da obra, como supracitado, está previsto para começar após o prazo para negociação das desapropriações.

A empresa se mostra tranquila quanto ao tempo que ainda resta para a conclusão dos trabalhos. O fato de o projeto não estar integralmente em áreas urbanas, o que traria dificuldades extras, também colabora: “O Rodoanel Leste terá 94% de seu trecho passando por áreas rurais”.

Isso também faz com que a SPMar também trabalhe com um prazo para entrega definido: “nosso plano é que a obra esteja pronta no dia 9 de março de 2014”, concluiu Afonseca.

Compartilhe