Seu inimigo é meu inimigo

Por Gazeta

Idealizado e criado (dentro de uma sala da Prefeitura) para ser porta-voz do governo, um determinado órgão de imprensa da cidade deu conta do recado por bom tempo e com muita eficiência.

Quando ameaçado a ficar de fora devido à ambições políticas de seu proprietário, apelou, bateu forte e foi reconduzido ao seu lugar.

Hoje encontra-se novamente em posição desconfortável pelos motivos de sempre: Encarou disputas política e jurídica, perdeu ambas e ficou na berlinda.

Usando os métodos usuais, típicos da chamada “imprensa marrom”, passou a atacar indiscriminadamente os atos da atual Administração na tentativa que vinha dando certo até então: Forçar o diálogo e participar política e economicamente do governo.

Não funcionou. O atual prefeito tem ignorado as críticas e rechaçado as tentativas de aproximação do político/jornalista, deixando-o em saia-justa que o mesmo não está acostumado a usar.

Isso tem aumentado o tom das críticas e levado o impresso a aproximar-se de grupo de vereadores que tentam fazer oposição ao governo. Alguns vereadores novatos, empolgados com o cargo e com a atenção dessa mídia estão sendo levados a assumir posição da qual pode não haver volta.

Acreditando ter forte aliado, esse grupo está aderindo ao lema: “Somos amigos, portanto, seu inimigo é meu inimigo.” Como vai acabar essa queda de braço?

Os senhores vereadores, assim como o prefeito, têm mandato popular, têm que dar satisfações à suas bases. Seu verdadeiro aliado é o eleitor e devem manter diálogo propositivo pela população, sob pena de cair em descrédito e acabar com suas carreiras políticas, enquanto o tal jornal e seu mentor nada têm a perder, pois já perderam tudo.

Compartilhe