Saulo dá adeus ao PV e ingressa no PMDB

A última sessão da Câmara de Ribeirão Pires não foi marcada por nenhum projeto em especial, mas sim pelo clima de despedida. Ao fim da sessão, o vereador Saulo Benevides pediu o uso da palavra ao presidente da Casa, Gerson Constantino (PV), que respondeu: “Gostaria de não dar, pois sei qual o assunto que o senhor vai trazer”.

Ao falar de seu desligamento do partido, Saulo Benevides não poupou críticas ao prefeito Clóvis Volpi

A solicitação de Benevides era para comunicar seu desligamento do Partido Verde, o qual ficou por seis anos e que rompeu na segunda-feira (15). Na tribuna, o parlamentar não poupou o prefeito Clóvis Volpi (PV). “Lamento a condução do partido pelo prefeito Clóvis Volpi. O presidente do partido é o Seraphim (José Valentim Seraphim), mas eu penso que ele é mais um refém do Volpi e, infelizmente, quem comanda o PV de Ribeirão Pires é o prefeito. Esse senhor só quer se perpetuar no poder e quero deixar registrado a forma arbitrária que ele (Volpi) vem dirigindo o PV aqui em Ribeirão Pires, forma essa ditatorial, espelhada no Hugo Chávez (presidente da Venezuela), com a falta de diálogo, não só com os vereadores, mas também com os membros do Partido Verde”, exclamou, completando que será o mais novo filiado do PMDB: “A partir de hoje iniciarei uma nova vida política, um novo sonho. Não sei se encerrarei o mandato com os senhores vereadores, mas estou à disposição, com muita coragem que sempre tive, para enfrentar uma batalha judicial e argumentar e provar que fui perseguido no Partido Verde”.

Após o desabafo do colega, o líder do governo, Antonio Muraki, desejou sorte ao companheiro e destacou sua posição oposicionista nos últimos tempos. “Você se posicionou como oposição à Administração, mas foi sempre coerente na hora das suas votações aos projetos. Tenho absoluta certeza que você não é um político que faz oposição por fazer. Desejo-lhe muita sorte e, quem sabe, o seu sucesso chegará aonde você almeja”.

Ao término da sessão, Benevides foi rodeado pelos jornalistas. Indagado sobre qual foi o ápice para o seu descontentamento com o PV, ele não soube citar um momento em especial, mas disse que há males que vem para bem. “Se eu tivesse de bem com o governo, de bem com o PV, não ia mudar nada politicamente na minha vida. Hoje eu voltei a sonhar de novo. Encontrei um novo grupo no PMDB, pessoas que acreditam no nosso projeto e, pelo que vi, já estão reconhecendo a nossa lealdade”.

O vereador afirmou não descartar um acordo futuro com o bloco da situação. “Vamos pegar o que ele (prefeito) fez de melhor e somar com as nossas ideias, mas eu não abro mão da cabeça, se eles quiserem, que indiquem o vice”.

No próximo mês, um evento a ser realizado na Câmara Municipal e que contará com a presença do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), marcará a filiação de Benevides ao Partido do Movimento Democrático Brasileiro. Também será a partir desse mês que ele começará a trabalhar seu nome na disputa pelo Paço. “A partir de 30 de setembro a gente vai começar a trabalhar o nosso plano de governo e uma das estratégias é começar a divulgar mais que a gente é candidato a prefeito. Por exemplo, eu não soltei nenhum informativo até agora, não fui pra televisão, então, vamos começar a fazer esse trabalho. Mas não basta só falar que é candidato. Tem que ter uma história, um trabalho no passado. Só falar que é candidato não quer dizer que vai fazer você crescer nas pesquisas. A gente tem crescido nas pesquisas porque somos conhecidos positivamente”.  

Postura desagradável – Sobre a saída de Saulo Benevides do PV, o presidente do diretório municipal, José Valentim Seraphim, disse que toda perda é prejudicial, mas que as portas estão abertas para novos integrantes. “Isso abre portas para os outros, muitos virão participar dessa gestão”.

Seraphim fez apenas uma ressalva à fala do vereador, de que é refém de Volpi. “Desagradável o ato que ele procedeu na tribuna. Falar que sou refém do Volpi é uma afirmação equivocada. O prefeito é coordenador regional do PV e eu respeito hierarquia”.

O presidente do PV de Ribeirão Pires disse que se reunirá na próxima terça-feira (23) com membros do partido para definir se pedirá a cadeira de Saulo. “Caso o partido não peça a cadeira, o suplente pode pedir, é um direito dele”.

Nossa reportagem entrou em contato com o suplente de Saulo Benevides, Rubens Fernandes da Silva, o Rubão, para comentar o que pretende fazer, mas ele não pode atender a ligação, pois estava no trânsito.

Compartilhe