Saulo consegue verba do PAC e viabiliza viaduto entre Centro Alto e Centro Baixo

A cidade de Ribeirão Pires está muito perto de realizar um antigo sonho: a ligação entre as partes alta e baixa da cidade, inexistente desde que a passagem de nível localizada na estação de trens foi desativada para a passagem de carros há mais de três décadas.

Após negociação de Saulo, Ribeirão recebará verbas do PAC

Para isso, serão usados recursos federais da primeira etapa do PAC Mobilidade, programa que já havia destinado R$ 793 milhões em agosto, em evento que contou com a presença da presidente da república Dilma Rousseff. Serão mais R$ 127,1 milhões, R$ 73,2 milhões deles para Ribeirão Pires, destinados a obras nas Avenidas Humberto de Campos e Santo André, corredor da Av. Francisco Monteiro e uma ligação da Avenida Prefeito Valdírio Prisco (antiga Avenida Brasil) com a Humberto de Campos, que enfim irá unir os dois lados da cidade.

Falando especificamente do viaduto, serão R$ 58 milhões empenhados para esta obra que permitirá a transposição de veículos sobre a via férrea sem a necessidade de ir aos extremos da cidade, como é feito hoje, o que acaba por, de certa forma, isolar o Centro Alto do Centro Baixo. Segundo a Prefeitura, a obra possibilitará a economia de 1.400 metros por viagem de ônibus, um total de 481,6 quilômetros por dia, e redução do tempo de deslocamento para acesso à área central, Rede Ferroviária (CPTM) e Terminal Rodoviário.

“Desde 1976, quando foi elaborada a Lei do Sistema Viário de Ribeirão, se fala deste viaduto. Nós conseguimos o que muitos tentaram e não conseguiram, graças ao empenho e ao trabalho desenvolvido desde novembro de 2012, assim que vencemos a eleição. Quando o Consórcio (Intermunicipal do ABC) anunciou recursos para a cidade e disseram que Ribeirão perdeu verba por não possuir projetos, ai está à resposta. A mentira nunca vai vencer a verdade”, disse o prefeito Saulo Benevides.

Além do viaduto, serão realizados serviços de adequação do sistema viário, sinalização vertical e horizontal, reformulação do viário junto às avenidas Prefeito Valdírio Prisco e Humberto de Campos e adequação e a padronização de passeios, que inclui acessibilidade, mobiliário, sinalização e iluminação. As avenidas Humberto de Campos e Santo André ainda receberão outros R$ 41 milhões em intervenções. Está prevista para uma segunda fase, a ampliação da Avenida Brasil até a UPA, na Santa Luzia, e, posteriormente, com novos recursos, até a Estrada de Sapopemba.

“Estamos preparando a cidade para o desenvolvimento econômico. Estamos atraindo empresas, gerando empregos e, ao contrário do que possam imaginar, preservando o meio ambiente. Vamos trazer desenvolvimento, mas com qualidade de vida”, disse Saulo.

Compartilhe