Rua sem saída acumula sérios problemas

Moradores da Rua Bárbara, localizada no Centro Alto de Ribeirão Pires, enfrentam sérios problemas. Apesar da rua ser sem saída (não tem mais de 50 metros de extensão), o abandono do local, a falta de infraestrutura e um vizinho específico tem tirado o sono e a tranquilidade das outras 4 famílias que vivem no local.

Aspecto de abandono e má iluminação torna o local ideal para ação de meliantes

Nossa reportagem acompanhou o drama vivido pelos moradores. Um deles, cuja identidade será preservada, relata: “A rua não é asfaltada, não têm guias, o mato é alto está toda esburacada pela erosão das chuvas”. Os problemas não param por aí. O local é mal iluminado, dos três postes que há na via, dois estão com as lâmpadas queimadas (o único poste iluminado está trincado, com os ferros aparentes, e inclinado). Segundo os moradores essa condição torna o local propício para abrigar viciados e facilita a ação de assaltantes. “Eu mesma já fui assaltada na porta de casa”.

Pelo fato de estar com o aspecto de abandono, durante o dia o local também é utilizado por casais para prática de sexo, dentro de carros. “Saí de casa num domingo e no meio da tarde voltei para casa e me deparei com um casal pelado dentro do carro em plena luz do dia”, expõe outro morador indignado.

Outro problema muito sério é o mal cheiro e a quantidade de moscas e outros insetos que invadem as casas. Isso acontece por dois motivos: no final da rua há uma residência, com aspecto de abandono, que abriga mais de 70 animais (gatos e cachorros). A proprietária não mora no local e apenas uma pessoa toma conta de tudo. As fezes dos animais exalam um cheiro muito forte e como não há a devida higienização do espaço, as moscas se espalham por todo lugar.  “Já houve várias denuncias à Zoonoses, à Prefeitura, à Eletropaulo e a Sabesp e ninguém toma uma providência, é como se este local não existisse, porém os impostos são altíssimos e deles não há esquecimento, mas apesar disso  não vemos retorno do uso desse dinheiro para nossa rua”.

A Prefeitura foi procurada para dar detalhes sobre os pedidos dos moradores e informou que para as questões que envolvem a Secretaria de Infraestrutura Urbana, uma equipe foi encaminhada ao local para vistoriar e averiguar os fatos. Dentro do prazo de 20 dias serão realizados os serviços de manutenção necessários, variando desde limpeza de mato à reparo da iluminação pública.

Sobre o caso do imóvel com grande número de cães, o Centro de Controle de Zoonoses acompanha há alguns meses o caso. O proprietário dos animais já foi notificado para regularizar a situação, porém solicitou prazo para se adequar. “A equipe do CCZ constatou, em nova vistoria, que a adequação não foi efetuada. Diante disso, o proprietário dos animais será autuado. A penalidade pela infração varia de acordo com a gravidade do caso, podendo ser uma advertência ou aplicação de multa”, informou a Prefeitura em nota. Segundo informado por um funcionário do CCZ, a proprietária está terminando de construir outro imóvel, na Bahia, com espaço e estrutura para todos os animais e assim que estiver pronto fará a transferência dos animais. Não há prazo definido.

Compartilhe