Rodoanel: impactos ambientais começam a aparecer em Ribeirão Pires

O Rodoanel tem o propósito de facilitar a vida, diminuindo o tempo que os brasileiros ficam no trânsito resultando em entregas mais rápidas e em tempo de viagens reduzido. Mas o preço desta grande obra está muito além das cifras. Afinal, o que realmente está por trás do progresso? Pensando no assunto de forma critica, o caderno desta semana aponta a realidade cruel da destruição de 540 hectares.

A cidade de Ribeirão Pires, está no trecho leste que ligará o Trecho Sul às rodovias SP-066, Ayrton Senna e Presidente Dutra. Por ser grandiosa, a obra muitas vezes ofusca o fator do impacto ambiental, que é pouco divulgado e explicado pelas autoridades.

O ambientalista Lucas Barbosa

As pessoas devem estar cientes que com o aumento do desmatamento, estão previstos impactos nas águas subterrâneas, como o rebaixamento do lençol freático, que poderá afetar a vitalidade da vegetação, bem como as mudanças de curso ou assoreamento das nascentes.

Causa e consequência, o Rodoanel ainda não está totalmente concluído e alguns munícipes relataram que no bairro do centro alto um tucano estava perdido em meio às casas. O ambientalista Lucas Barbosa, em entrevista, explicou a causa “o Rodoanel é o responsável pela quebra de uma corrente. A obra destruiu a casa de muitos animais, prejudicando um ciclo, o aparecimento do tucano no bairro do Centro Alto comprova isso. É normal que os animais fiquem acuados e migrem para os centros”.

O entrevistado explica outros fatores, que afetaram diretamente a população: “A fauna e flora destruída, animais e pessoas sem lar. E claro que a poluição que fará parte do pacote. Neste ponto muitas pessoas se lembram apenas dos gases que serão emitidos pelos veículos, mas isso vai além. A minha explicação é simples, quando a obra estiver concluída, veículos vão espalhar o gás carbônico e uma substância chamada amianto produzida pelo freio dos veículos. A chuva irá lavar as ruas e vias, e claro toda a sujeira entrará no nosso solo prejudicando até o nosso reservatório de água (a represa Billings)”.

Tucanos apareceram no Centro Alto, surpreendendo moradores

O reflorestamento, a opção para reverter o impacto ambiental, “os moradores da região devem sim lutar pelo reflorestamento. Neste caso não se deve ter uma visão limitada, o melhor a ser feito é a criação de unidade ambiental, o local que pode ser utilizado é a Fazenda Bandeirantes. Os responsáveis pela obra podem investir, em túneis subterrâneos para a passagem dos animais cerca no perímetro tudo em prol da qualidade de vida animal. Essa unidade, não seria nenhum tipo de parque. Os animais ficaram longe do homem e em harmonia com a natureza, assim como deve ser”, explica ambientalista.

A respeito da implantação do corredor ecológico em volta da obra, Lucas Barbosa opina “sou a favor do corredor ecológico. Uma opção seria o plantio de árvores frutíferas e plantas da mata atlântica. Tudo para amenizar o estrago”.

Para aqueles que pensam apenas nos benefícios da obra do Rodoanel fica o pensamento do entrevistado da semana, “tudo está ligado, o que falta é as pessoas perceberam que também fazem parte deste elo. Homem e Natureza”.

Compartilhe