Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra registram queda na taxa de mortalidade infantil

De acordo com dados divulgados pela Fundação SEADE (Sistema Estadual de Análise de Dados), órgão da Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Regional do Governo do estado de São Paulo, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra registraram diminuição na taxa de mortalidade infantil. Entre os anos de 2015 e 2016, a média de mortes em Ribeirão passou de 11,3 para 9,2, enquanto os dados de Rio Grande da Serra apontam índice em queda desde 2014: De 16,7 para 8,6 em 2015 e 3,3 em 2016. Os números são para cada mil nascidos vivos.

Cidades estão dentro dos padrões exigidos pela OMS

Com a redução nas taxas, ambas as cidades estão dentro dos padrões exigidos pela OMS (Organização Mundial da Saúde), que é de dez mortes para cada mil nascimentos.

Gabriel Maranhão, prefeito de Rio Grande da Serra, atribui a redução dos números ao trabalho realizado.  “A redução da taxa de mortalidade se deve à melhora na realização dos exames de Pré-Natal, no incentivo ao aleitamento materno, no maior número de consultas de pós-parto, no controle rigoroso da vacinação das crianças e no aumento do número de consultas nas Unidades Básicas de Saúde.”

Patrícia Freitas, secretária de Saúde de Ribeirão Pires, destaca algumas das ações de sua secretaria como principal motivo para a queda dos índices. “As equipes da Secretaria desenvolvem importantes ações por meio do Comitê de Mortalidade Materna Infantil. Tais ações estão sendo fortalecidas em nossa rede municipal. As atividades promovidas incluem a investigação das causas básicas de morte de bebês em determinado período e o desenvolvimento de ações para evitar que novos casos ocorram”, finalizou.

Compartilhe