Ribeirão Pires e Guarujá trocam experiências de gestão

Na manhã de ontem o prefeito de Ribeirão Pires, Saulo Benevides, recebeu comissão formada por profissionais da Prefeitura do Guarujá para troca de experiências sobre a gestão pública entre os dois municípios. Este é o segundo encontro das Estâncias, agendado após visita do prefeito Saulo à prefeita reeleita da cidade litorânea, Maria Antonieta de Brito, no início deste mês.

Assim como na primeira visita, um dos assuntos em pauta entre os técnicos da comissão enviada pela prefeita e os secretários de Governo, Koiti Takaki, de Administração, José Vicente de Abreu, de Assuntos Jurídicos, Dra. Rosana Figueiredo, e de Finanças, Antônio Carlos de Lima, foi a dificuldade encontrada em ambas as cidades no primeiro ano de gestão de cada prefeito.

A equipe de secretários e os técnicos da comissão guarujaense trocaram experiências e medidas tomadas para contornar os desafios deixados por gestões anteriores.  Em Ribeirão Pires, por exemplo, a atual gestão encontrou dívida que pode ultrapassar os R$ 40 milhões, referente ao não pagamento de fornecedores, débitos pendentes com AES Eletropaulo, Imprerp, entre outros.

Diante da instabilidade financeira da Prefeitura, o prefeito Saulo decretou o contingenciamento do orçamento em 25%, para garantir equilíbrio às contas. Outras medidas que estão sendo tomadas são a revisão minuciosa de todos os contratos e a negociação de dívidas, como a do Instituto de Previdência do município, que teve acordo de parcelamento aprovado pela Câmara Municipal na sexta-feira (18).

“Além disso, para se ter uma ideia da situação, negociamos, a pedido do prefeito Saulo, com o fornecedor de combustível da frota da Prefeitura para não termos interrupção do abastecimento, o que comprometeria os serviços prestados à população. Isso porque nos foi deixada dívida com os proprietários do posto contratado, de cerca de R$ 245 mil. Com a análise deste contrato, decidimos negociar a dívida e os valores e firmamos acordo para reduzir os preços cobrados por litro, o que pode representar em um ano uma economia de R$ 100 mil”, exemplificou o secretário de Administração e Modernização, José Vicente de Abreu.

De acordo com a equipe técnica da comissão guarujaense, o cenário descrito pelos secretários tem semelhanças com as condições financeiras e administrativas ruins deixadas pelo antecessor da prefeita Maria Antonieta e que a Administração de Ribeirão já está tomando medidas importantes para contornar o problema. Além disso, apresentaram outras ações que fizeram e podem ser adotadas também pelo município, como um rigoroso controle de pequenas despesas, como material de escritório nos departamentos, e a inclusão dos servidores neste processo, para que possam contribuir com ideias.

Compartilhe