Ribeirão Pires aparece em 5º lugar no índice estadual de homicídios

Por Marisa Walsick e Danilo Meira

Plaquinha

Índice de criminalidade é de 19,3 por 100 mil habitantes

A agradável noite do último sábado estava propícia para as famílias passearem na Vila do Doce que, lotada, obrigava seus visitantes a estacionar em locais mais distantes da Praça Central, em ruas com pouco movimento como a Afrânio Peixoto. Isso, aliado a baixa iluminação, contudo, foi um convite para o delito. Uma munícipe que estava passando nesta rua para buscar o seu carro que estava em um estacionamento particular da região teve uma desagradável surpresa ao avistar três elementos estourando o vidro de um carro com uma pedra para furtar o que estava no interior do carro. Sem qualquer sinal de acanhamento, eles pegaram o que puderam e correram em direção à antiga rodoviária. Cenas como essa, infelizmente, estão virando parte do cotidiano da nossa cidade e a fazem mal falada, já que há outras histórias, em que o final é mais trágico.

Esta semana, a Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo divulgou o “ranking da violência”, índice que elenca a taxa de homicídios para cada 100 mil habitantes. E, de forma até mesmo surpreendente, a cidade de Ribeirão Pires aparece em 5º lugar dentre 76 cidades acima de 100 mil habitantes do estado, com 19,3 homicídios, perdendo para Caraguatatuba (1º lugar, com 28,3), Jacareí (2º, com 26,9), Rio Claro (23,4) e Itaquaquecetuba (20).

Vale ressaltar que o fenômeno não é recente. Considerando dados desde 1999, a maior média histórica foi no ano 2000, quando o índice chegou a 28,81 até cair a 8,8 em 2011, quando foi o menor. Em 2012, a taxa de homicídios chegou a 10,50 dobrando no ano passado, quando atingiu os quase 20 pontos de média. Há também altas significativas em furtos (844,35) e roubos (472,17), além de furtos e roubos de veículos (452,17) que, embora não sejam recordes históricos, não deixam de ser preocupantes já que mostram em números a sensação de aumento da criminalidade que há meses circula entre os munícipes, que aqui mesmo no Mais Notícias foi relatada por diversas vezes durante os últimos meses.

Autoridades falam – A Prefeitura da cidade informou que “solicitará ao Estado a intensificação das ações das polícias Civil e Militar na cidade a fim de reduzir os índices de criminalidade. Além disso, a Secretaria de Segurança Pública da cidade se reunirá com a PM para traçar estratégia de trabalho para os próximos meses, considerando, inclusive, as estatísticas de criminalidade recém divulgadas. Por meio da Guarda Civil Municipal, a Prefeitura manterá apoio à PM e Polícia Civil em ações integradas, como é o caso das Operações Força Tarefa. A Prefeitura trabalha também em projeto para a instalação de câmeras de vídeo monitoramento, com recursos próprios e também por meio do Consórcio Intermunicipal Grande ABC. Os pontos de instalação dos equipamentos foram pré-definidos após estudo com conjunto com a Polícia Militar, de acordo com o sistema de Informações Criminais (Infocrim), da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo”.

A Secretaria de Segurança Pública, por sua vez, afirmou em comunicado “que vem adotando medidas para que o número de homicídios no estado continuem a cair e, que as cidades que não estão acompanhando essa tendência estadual, passem a apresentar redução nesse índice de criminalidade.

Em reuniões semanais, a SSP tem cobrado metas dos comandos das polícias Civil e Militar para diminuir as taxas criminais. Para planejar e implementar esse trabalho, as polícias de Ribeirão Pires contam com o Ragisp, um “mapa do crime” que aponta os principais pontos de incidência de crimes.

Além disso, foi implantada neste mês a bonificação de até R$ 8 mil por ano para os policiais militares, civis e técnico-científicos que contribuírem para a redução dos índices de criminalidades, entre eles as vítimas de letalidade violenta, que inclui homicídios dolosos e latrocínios.

Para a região metropolitana de São Paulo – que inclui Ribeirão Pires -, o plano de metas prevê uma redução de 8,4% no número de vítimas de letalidade violenta (latrocínios e homicídios).

A SSP informa que as polícias prenderam 261 pessoas em flagrante e em cumprimento de mandado judicial, e retiraram 37 armas de fogo das ruas em Ribeirão Pires no ano passado. Além disso, a cidade teve uma redução de cerca de 30% no número de roubo de veículos”.

A população da cidade aguarda por uma solução o quanto antes. O que não se admite é que a situação permaneça como está. Para encerrar, um comparativo: a cidade de Jaú, que tem 133 mil habitantes, 20 mil a mais que Ribeirão Pires, portanto, tem uma taxa digna de cidades de primeiro mundo, com apenas 1,4 homicídios para cada 100 mil habitantes.

Compartilhe